Mancha de nascença no rosto não impede brasileira de trabalhar como modelo

Mariana Mendes nasceu com um nevo melanocítico congénito, uma malformação estética que lhe cobre parte da cara. Um problema que afeta apenas um em cada 20.000 bebés.

Há 24 anos que a brasileira Mariana Mendes exibe uma inestética mancha escura no rosto, um nevo melanocítico congénito, um problema que afeta apenas um em cada 20.000 bebés, que lhe cobre parte do nariz, o olho direito e ainda o topo da bochecha direita. Uma marca de nascença causada por uma acumulação de pigmentação por debaixo da epiderme que, ainda assim, não a impediu de se tornar modelo.

Quando tinha cinco anos, a mãe, temendo que pudesse vir a ser vítima de bullying na escola, submeteu-a a tratamentos cirúrgicos a laser para reduzir o tamanho da mancha, mas o resultado não foi o esperado. «Sinto-me mais bonita do que as outras pessoas por causa do nevo, porque sou diferente», assegura a modelo, que também trabalha como assistente de moda.

«Muitas pessoas param e ficam a olhar para mim mas eu não me importo. Já me disseram que isto é feio ou estranho mas isso não me afeta. É só a opinião delas», desvaloriza Mariana Mendes. «Há quem pense que se trate de uma tatuagem ou de maquilhagem e eu não me importo nada de lhes explicar que se trata de uma marca de nascimento. Tenho muito orgulho na pessoa que sou», afirma a modelo.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários