O que as (novas) pílulas de beleza podem fazer pela sua imagem

A nutricosmética está a conquistar adeptos. Há novas marcas a surgir no mercado e as formulações também têm vindo a ser melhoradas e otimizadas.

Uma nova geração de cosmética oral promete ajudar a perder peso, proteger do sol, melhorar a firmeza da pele, combater a celulite, fortalecer cabelo e unhas... Se tem o hábito de ler revistas femininas e de ver sites e blogues de beleza, está certamente a par de algumas das novidades. Está preparada para entrar no apaixonante mundo da beleza em comprimidos? A convicção de que a beleza vem de dentro para fora parece ser o mote de partida desta revolução da beleza, que assenta na ingestão de nutrientes e ingredientes naturais para melhorar a saúde e a aparência da pele e do cabelo. A premissa não é nova.

Inúmeros estudos publicados nas últimas décadas comprovam que o uso de vitaminas pode ter um papel muito importante na saúde e vitalidade da pele. A nutricosmética vai um pouco mais longe e procura identificar, não só os nutrientes essenciais para o bom funcionamento das células da pele e do cabelo, como a melhor forma de os fazer chegar até elas. A pele é um órgão vivo, irrigado por uma complexa rede de vasos capilares, responsável por lhe fornecer os nutrientes e elementos de que precisa para se desenvolver, reestruturar e proteger das agressões externas.

Mas não basta ingerir esses nutrientes para conseguir optimizar as funções naturais da pele, é fundamental garantir que, após a sua ingestão, estes passam à corrente sanguínea (são bioassimiláveis), para daí serem distribuídos pelos diferentes tecidos e órgãos do corpo (neste caso, a pele) e, por conseguinte, serem utilizados. É esse o objetivo da nutricosmética. Através da via oral, fornecer nutrientes essenciais que, uma vez chegados à rede capilar cutânea, são difundidos por todas as camadas da pele (das mais profundas à mais superficial).

Na prática, falamos de autênticas pílulas de beleza (suplementos nutricionais cosméticos) que nutrem as células cutâneas a partir do interior e cujo resultado se reflete numa melhoria do aspecto exterior. A lista de ingredientes usados inclui substâncias como o ácido hialurónico, o betacaroteno, o lactobacillus, o licopeno, o resveratrol, o zinco, o CLA (ácido linoleico conjugado), a L-Carnitina, a alcachofra, o glucomanano e extratos de plantas.

As vantagens da nutricosmética

Estas são as principais apontadas pelos especialistas:

- Nutrem as células cutâneas a partir do interior, através da corrente sanguínea, atuando em todas as camadas da pele (a maior parte dos cosméticos em creme não vai além da camada superficial, a epiderme).

- São elaborados, na sua maioria, a partir de vitaminas e minerais, pelo que resultam particularmente benéficos para quem sofre de carências vitamínicas.

- Não têm contraindicações, salvo em casos de gravidez/aleitamento ou alergia.

2 cuidados a ter

1. É importante não ultrapassar as doses indicadas, especialmente com os suplementos que contêm certas vitaminas, como as lipossolúveis (A, D, E e K) e algumas do grupo B, porque se armazenam na gordura do corpo e no fígado, podendo, em dosagens excessivas, tornar-se tóxicos.

2. Alguns produtos, sobretudo os de controlo de peso, podem conter glucose, o que os torna inadequados para diabéticos. Devem ser tomados às refeições para facilitar a sua absorção e, assim, potenciar os seus benefícios.

Texto: Fernanda Soares

artigo do parceiro:

Comentários