Novo tratamento permite reduzir um número de roupa numa única sessão

Já está disponível em Portugal e regista taxas de êxito entre os 80% e os 100%

Os primeiros resultados são imediatamente visíveis mas só são atingidos em pleno depois de entre seis a dez semanas de tratamentos regulares. Este equipamento «refirma, tonifica, modela e emagrece com um único tratamento de uma hora», assegura o médico Grant Hamlet, um dos maiores especialistas ingleses em body sculpturing, defensor de procedimentos estéticos não-invasivos.

A nova versão do aparelho, que foi apresentado internacionalmente no início de novembro de 2013 em Londres, foi encomendada em dezembro pela clínica portuguesa SENTIDOS Saúde&Beleza, em Lisboa, que disponibiliza os tratamentos desde janeiro de 2014. O preço por sessão oscila entre os 100 € e os 150 €, consoante a zona a tratar e o tempo de utilização da máquina, podendo atingir os 200 € em casos e áreas corporais mais complexas.

«O ideal são três sessões iniciais para se verem resultados e os tratamentos também podem ser complementados com massagens manuais ou com drenagem linfática, por exemplo. A marca também preconiza uma sessão única mais demorada, para pessoas que têm menos tempo para vir à clínica. Mas é sempre feita uma consulta de avaliação prévia», sublinha Joaquina Rocha, responsável pela clínica. O novo terminal apresenta um novo design e um interface de utilização muito mais simples e intuitivo.

«Funciona praticamente como um tablet. Quisemos algo muito simples que operasse na lógica das apps dos smartphones», elogia o especialista, que enaltece ainda o novo sistema de distribuição de radiofrequência do dispositivo, com um aplicador de três tamanhos mais ergonómico. «O corpo do paciente não é homogéneo. Tem texturas e tamanhos diferentes», realça Grant Hamlet, membro da General Medical Council (GMC).

O novo protocolo de aplicação da máquina potencia a eficiência dos resultados, permitindo perder, em média, «dois centímetros em três tratamentos em duas semanas de tratamentos ou numa sessão de tratamentos mais longa», esclarece Grant Hamlet. «É praticamente um tamanho de roupa», faz questão de sublinhar. À semelhança das anteriores versões do equipamento, a sinergia Elos (Electro Optical Synergy), que combina luz infravermelha com radiofrequência, volta a ser a tecnologia usada.

Mas é agora complementada com um processo de manipulação mecânica dos tecidos combinada com um sistema de vácuo pulsado. «A radiofrequência é a forma mais barata de energia. É muito segura e confiável», garante o especialista. Além de aquecer o tecido mais rapidamente, penetrando cerca de 15 milímetros no interior da derme, «a profundidade mais eficaz para este tipo de tratamentos», o novo aparelho mantém também a temperatura do organismo quente durante mais tempo.

Nova tecnologia permite tratamentos mais curtos

Esta melhoria possibilita a redução do tempo de duração do tratamento, o que permite alcançar melhores resultados com um menor número de sessões ou com um ciclo de tratamentos mais curto. De uma forma muito simplificada, a combinação das diferentes tecnologias aquece os adipócitos das células mais depressa do que na versão anterior, aumentando a circulação num processo de drenagem linfática e de metabolismo celular que expele as gorduras.

Essa situação verifica-se ao mesmo tempo que o tratamento estimula a produção de colagénio, uma proteína de importância fundamental na constituição da matriz extracelular do tecido conjuntivo, unindo e fortalecendo os tecidos. «Se o tecido for aquecido a uma temperatura até 45º C durante 18 minutos, conseguimos uma excelente contração dos tecidos para produzir os desejados efeitos de emagrecimento, de refirmação e de elevação», afirma a Syneron Candela, a empresa que concebeu e comercializa o equipamento nos seus descritivos comerciais.

Em termos técnicos, a intensidade da radiofrequência foi aumentada para os 150 watts, contra os 60 watts da VelaShape II. «Este tratamento ajuda a criar tecidos novos mais fortes e com maior firmeza», resume Grant Hamlet. «O importante é que as pessoas que recorrem a este tipo de procedimentos gostem de os fazer. Muitos tratamentos estéticos são desconfortáveis ou magoam as pessoas. Este é agradável», assegura o especialista. Tricia Miserer concorda.

Esta enfermeira canadiana começou por ser paciente do VelaShape II mas ficou de tal maneira rendida ao aparelho que agora dá formação sobre a utilização da sua nova versão no seu país de origem. «Temos situações em que conseguimos até três centímetros de redução circunferencial no abdómen», afirma. No entanto, 2,6 centímetros é o maior valor, em termos médios, que os testes levados a cabo em pacientes têm registado.

Os estudos de utilização efetuados apresentam taxas de êxito entre os 80% e os 100%. «São resultados muito significativos», regozija-se Tricia Miserer. Quem também tem elogiado publicamente o equipamento é Wendy Lewis, a consultora de beleza independente que esteve presente na primeira apresentação internacional do dispositivo. «É um aparelho de quarta geração. É impressionante. Vai ser um êxito», vaticina.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários