Melhore a sua silhueta

Os cuidados que deve ter com o seu corpo em cada idade

Quanto mais cedo começar a cuidar do seu corpo, mais tarde e melhor envelhecerá. Mas uma mulher de 20 não precisa dos mesmos tratamentos que uma mulher de 50.

Em cada faixa etária é preciso ter em conta as características próprias do corpo nesse momento. 20, 30, 40, 50 anos... As diferentes fases pelas quais passa a vida da mulher vão marcando o seu corpo, desde a puberdade até a menopausa.

Em cada uma dessas etapas deve reforçar os pontos fracos que podem afetar a sua imagem. Com o passar do tempo a pele deixa de se renovar como antes, torna-se mais fina, perde a vitalidade, numa palavra, envelhece. As curvas mudam (ou desaparecem) e, por vezes, distribuem-se de forma pouco harmoniosa devido a fatores hormonais ou, simplesmente, ao excesso de peso. Mas existem alternativas estéticas que lhe dão uma solução para lutar em todas as batalhas. Tome nota!

Aos 20 anos faça atenção às estrias

A estria é uma cicatriz que se caracteriza por um rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermédia da pele, formada por colagénio e elastina (responsáveis pela sua elasticidade e tonicidade). Ancas, culotes, coxas, nádegas e zona lombar são as zonas mais comuns para o seu aparecimento. São comuns na adolescência, provocadas pelo stress da pele durante o processo de crescimento e também durante a gravidez.

As estrias podem aparecer devido aos mais diversos fatores, nomeadamente alterações hormonais, dietas iô-iô (aumento e perda de peso recorrente), pós-gravidez, entre outros. A pele estica e, apesar de ser muito elástica, quando atinge o limite, as camadas profundas quebram e surge a estria. Quanto mais seca for a pele, maior probabilidade terá de desenvolver estrias.

Não há tratamentos milagrosos que façam desaparecer as estrias (a menos que se recorra à cirurgia) mas é possível atenuá-las e torná-las quase invisíveis com alguns tratamentos não invasivos, como os proporcionados pelos equipamentos FormaTK e Endymed, ambos com tecnologia radiofrequência. O sucesso do tratamento vai depender do tipo de estria e de pele. A estria vermelha ou cor de rosa indica que é recente.

Neste caso, as hipóteses de uma reversão aumentam, pois o tecido ainda tem capacidade de regeneração. E quanto mais cedo agir, melhor. Quando as estrias ficam esbranquiçadas associadas a uma pele seca costumam ser mais difíceis de tratar. Daí a importância de manter a pele bem hidratada. Este serve também como prevenção do aparecimento das estrias.

No caso de estrias recentes e pouco profundas, o FormaTK provoca o aquecimento do tecido, de forma a estimular as fibras de colagénio a produzirem novas reservas. Em cada sessão é feita a limpeza da área a tratar, aplica-se gel condutor e fazem-se os disparos sobre a área. O procedimento é indolor graças ao sistema de arrefecimento da superfície cutânea. A pele fica mais firme e lisa. As sessões devem decorrer uma vez por semana, pelo menos, durante seis semanas. Cada sessão tem um custo aproximado de 45 € (dependendo da zona).

Já se se tratam de estrias mais profundas, o EndyMed é uma boa solução. Trata-se de um tratamento cutâneo de resurfacing tridimensional que combina radiofrequência ablativa microfracional com radiofrequência não-ablativa, através de um único pulso de energia, de forma a tratar todas as camadas da pele. Promove a produção de colagénio, essencial para conferir tonicidade à pele, diminuir a aparência de cicatrizes, como as estrias, e uniformizar o tom da pele.

Após o tratamento são visíveis melhorias na textura, pigmentação e aparência global da pele. São necessárias três sessões (350€ por sessão) com intervalo de um mês. Necessita da aplicação de anestesiante (creme) local.

Aos 30 anos declare guerra à celulite

A celulite consiste na acumulação descontrolada de tecido adiposo em certas áreas do corpo, formando nódulos de água, gordura e toxinas. Na verdade, pode aparecer em qualquer idade, até mesmo na adolescência. Mas a partir dos 30 anos de idade, o corpo começa a ter mais dificuldade em eliminar a gordura e as toxinas e estas começam a ser armazenadas no organismo.

Ancas, coxas e abdómen são as zonas alvo mais típicas, mas pernas e braços também podem ser afetados. Além de fatores genéticos e hormonais, um estilo de vida sedentário pode piorar a propensão para a celulite. O exercício físico além de eliminar a gordura é uma boa maneira de estimular a circulação sanguínea. Uma dieta inadequada rica em gorduras e pobre em proteína (que ajuda a produzir colagénio), bem como fatores externos como a roupa muito apertada, o álcool e o tabaco também potenciam o problema.

Para além disso, «a influência das hormonas femininas (estrogénios) faz depositar a gordura em determinadas zonas do corpo, criando alterações vasculares que conduzem ao aparecimento da celulite», explica o dermatologista Fernando Guerra. «Durante a gravidez, há uma acentuação destas alterações e a celulite agrava-se», acrescenta.

A solução para a celulite pode estar no Proshockice, um equipamento médico-estético que atua através da estimulação da microcirculação e da rutura dos nódulos e septos fibrosos que envolvem as células adiposas, pressionando os vasos. Depois da avaliação física e diagnóstico do tipo e distribuição da adiposidade e celulite, são aplicadas de forma alternada crioterapia (efeito vasoconstritor e anti-inflamatório) e ondas de choque (efeito mecânico de vasodilatação e de rutura dos septos fibrosos).

A ginástica vascular é benéfica para desbloquear a estase circulatória que está na origem da celulite e para libertar os vasos sanguíneos e células adiposas da pressão exercida pelos septos e novelos fibrosos. A aparência casca de laranja e os nódulos adiposos são eliminados em algumas sessões. São recomendadas no mínimo 4 a 6 sessões de 40 a 60 minutos, sendo que cada uma tem um custo aproximado de 200 €.

Aos 40 anos combata a gordura e a flacidez abdominal

Consiste no aumento do volume abdominal pode dever-se a várias causas, nomeadamente gordura intra-abdominal, mais comum nos homens (a famosa barriga da cerveja) ou gordura subcutânea (vulgarmente descrita como pneus). Para além disso, a diastáse (afastamento) dos músculos retos abdominais contribui para a barriga projetada para a frente, muito comum após várias gravidezes. Pode surgir na sequência de fatores como a gravidez, alterações de peso e causas hormonais.

O desporto e a alimentação saudáveis são fundamentais mas, na maior parte das vezes, não chegam para solucionar um dos problemas que mais preocupam as mulheres a partir dos 40, mesmo as mais magras. Embora a pele e os músculos tenham a capacidade de voltar ao sítio, a verdade é que, com os anos (e depois de uma ou várias gravidezes), essa capacidade elástica vai-se perdendo, originando uma barriguinha inestética.

A solução pode passar pelo Exilis, um equipamento de remodelação corporal não invasiva (alternativo à lipoaspiração cirúrgica) que combina ultrassons e radiofrequência, de forma não só a eliminar os depósitos de gordura como a promover a firmeza dos tecidos. Esta combinação de energias permite o acesso e o tratamento de tecidos anteriormente resistentes, chegando às camadas gordas mais profundas do corpo.

As ondas ultrassónicas quebram a estrutura do tecido fibrótico gorduroso e estimulam o processo de lipólise, diminuindo o volume de gordura, eliminada progressivamente pelo organismo. Após a destruição da gordura com o Exilis, recomenda-se a aplicação de terapia de ondas acústicas. Este equipamento permite a drenagem mais eficaz das gorduras libertadas, ao mesmo tempo que ajuda a rejuvenescer os tecidos da pele, tornando-a mais firme.

Este aparelho ajuda na remodelação corporal através da redução do volume de gordura, melhoria substancial do tecido conjuntivo e aumento da firmeza da pele graças à renovação de fibroblastos e do colagénio. Normalmente são necessárias quatro sessões mas, em casos excecionais, o tratamento pode estender-se até seis sessões. E o preço? Desde 800 € por pacote de 4 sessões, dependendo do número de sessões e da necessidade de combinar Exilis e ondas acústicas.

Aos 50 anos deixe de pensar na gordura localizada

A gordura localizada é um dos maiores problemas das mulheres no que toca a beleza corporal. Muitas vezes, a pessoa nem é gorda, mas acumula todas as gorduras em excesso numa ou mais zonas do seu corpo. A partir desta década, o corpo da mulher está sujeito a uma infinidade de variações hormonais devido à menopausa.

Como efeito adicional, a distribuição da gordura do corpo é organizada de forma diferente. Por vezes, nem se trata de ter mais ou menos gordura, trata-se de uma questão de distribuição, até ao corpo estabilizar e se acostumar às novas função hormonais. «A partir dos 50, as mulheres perdem elasticidade cutânea (devido à diminuição do colagénio e elastina) e muscular, o que em termos práticos vai traduzir-se em menor necessidade calórica para realizar as mesmas tarefas», explica o nutricionista Jorge Ferreira.

«Por outro lado, nesta fase as mulheres tendem a ser menos ativas e a ingerir mais calorias, por conseguinte, vai haver um aumento de peso e isso implica aumento de gordura localizada», acrescenta o especialista. A solução para este problema pode estar no Ultrashape, um equipamento de tratamento não invasivo para a eliminação da gordura localizada.

Através de um sistema de ultrassons focalizados aplica a energia necessária para promover a rutura da membrana dos adipócitos alojados na camada subdérmica. A tecnologia é aplicada de forma seletiva, assegurando que todo o tecido envolvente, como vasos sanguíneos, vasos linfáticos e nervos periféricos, não são afetados e permanecem intactos.

A gordura libertada dos adipócitos entra no sistema linfático e é eliminada rapidamente. Numa sessão de uma hora é possível perder até três centímetros (cm) de gordura em zonas específicas como no abdómen, nas coxas ou nos joelhos. Há uma redução média de 2 cm na circunferência do corpo. Recomendam-se uma a três sessões (900 € por sessão e por zona).

Texto: Sandra Cardoso

artigo do parceiro:

Comentários