Estrias menos visíveis

Conheça a solução a nível cirúrgico e as alternativas para minimizar este problema

É um dos problemas estéticos que mais incomoda as mulheres que se preocupam com o seu aspeto físico. Tal como a celulite, as estrias
atacam principalmente as mulheres,
cerca de 75% das adolescentes
e 85% das grávidas.

As estrias podem também resultar
de uma formação anómala
de colagénio e da ingestão de
fármacos ou substâncias químicas
que interferem na formação
de colagénio.

São mais
fáceis de eliminar na fase inicial,
quando ainda têm uma cor
avermelhada, o que indica que
a pele ainda conserva a corrente
sanguínea. Numa fase posterior, podem apenas ser reduzidas ou disfarçadas.

Eliminação de pele para remover as estrias

Retirar cirurgicamente as estrias é uma das melhores maneiras de as disfarçar. «As estrias são cicatrizes transdérmicas, ou seja, são cicatrizes que atravessam toda a
espessura da pele, sendo passíveis de melhoria, mas não de completo desaparecimento», começa por esclarecer Heldér Silvestre, cirurgião plástico que, ainda assim, indica como tratamento
cirúrgico aconselhável a sua excisão. Este tipo de tratamento tem um custo que se situa a partir dos 1500 €.

Terapia de Ondas Acústicas

O recurso à Terapia de Ondas Acústicas é outra das formas de minimizar o seu impacto visual. Trata-se de um equipamento que combina simultaneamente ondas acústicas e eléctricas,
e que permite regenerar os tecidos moles, tratando as estrias. O tecido recupera a flexibilidade através da reestruturação celular, criando tecido
macio com maior elasticidade.

Este tratamento é recomendado após lipoaspiração não invasiva ou cirúrgica e apresenta
resultados satisfatórios, por exemplo, em tratamentos pós-parto e custa cerca de 70 € por sessão, dependendo das zonas a tratar.

Texto: Madalena Alçada Baptista

artigo do parceiro:

Comentários