Aproveite a noite para… desintoxicar a pele!

O período noturno é um momento chave para a autólise da epiderme, um processo de purificação celular que um novo creme disponível em Portugal, com 10 patentes exclusivas, ajuda a potenciar

As células humanas, durante o seu funcionamento natural, produzem resíduos que, se não forem eliminados, as danificam, condicionando o seu desenvolvimento. Para se conseguirem renovar, estas devem, por isso, desintoxicar-se todos os dias. Um processo que, segundo muitos dermatologistas, ocorre no período noturno. Segundo a cronobiologia, o estudo dos ritmos biológicos, a purificação e regeneração natural da pele tende a ocorrer depois do deitar, sendo seguida, cerca de quatro horas depois, por uma fase de multiplicação. Até agora, a ciência tinha focado os seus estudos no proteassoma, um dos três sistemas de desintoxicação celular.

A solução para o problema pode estar, contudo, na autólise, um sistema ainda mais completo que destrói as proteínas e os componentes celulares danificados e que, juntamente com a glutationa, um sistema antioxidante capaz de transformar as toxinas em elementos hidrossolúveis que se eliminam com facilidade, constitui esta tríade. Quando os danos celulares são elevados, as proteínas alteradas deste organismo ficam sobrecarregadas, esgotando a capacidade do proteassoma e acabam por acumular-se, prejudicando a pele. Potenciando o processo de regeneração durante a noite, essa ação pode ser contrariada.

«A noite é, sem dúvida, o momento chave para a autólise», assegura Cristina Lima, farmacêutica, que apresentou, em Portugal, o Nuxcellence Detox, um novo cuidado noturno, lançado em Portugal nas primeiras semanas de 2015. Um creme com um complexo super-desintoxicante, com uma fórmula que integra 10 patentes exclusivas da Nuxe, a marca que lidera o segmento de mercado dos cuidados anti-envelhecimento em França, com uma quota de mercado de 13,9%. A sua composição inclui um extrato de árvore-da-seda, uma árvore da família das Fabaceae, cujas folhas têm a particularidade de se abrir com a luz do sol e fechar durante a noite.

Proteínas mitocondriais oxidadas eliminadas

Obtido a partir da casca da árvore-da-seda, o extrato que integra a formulação deste creme desintoxica as mitocôndrias das células, eliminando as proteínas mitocondriais oxidadas. Combinado com a ação de açúcares derivados da biotecnologia, alfa-glucanos em forma de trissacarídeos, extraídos e purificados a partir de uma levedura natural utilizada para controlar de maneira natural, os frutos após a sua colheita, este ingrediente estimula a formação de autofogossomas, membranas que isolam os componentes celulares alterados, enquanto aumenta o número de lissomas, bolsas celulares regenerantes repletas de enzimas.

«Num ambiente poluído, para além dos resíduos naturais, as células cutâneas também devem eliminar as toxinas e os metais pesados, bem como todas as moléculas danificadas pelos radicais livres», pode ler-se no dossier de imprensa do novo cuidado noturno da marca. «Se a etapa de desintoxicação funciona corretamente, a renovação celular é oito vezes mais rápida do que durante o dia», asseguram os cientistas que colaboram com a Nuxe. Favorecendo a autólise, a epiderme, desintoxicada, produz mais células cutâneas.

Ao conseguir um aumento de 43% na recuperação do ADN mitocondrial, alterado diariamente pelas agressões do meio ambiente, este produto acelera o processo de atividade celular e, recarregadas com energia, as células cutâneas funcionam melhor. «A utilização deste creme permite-nos ter mais células e células que funcionam melhor», assegura Cristina Lima. «Ao acordar, temos uma pele mais fresca e revitalizada, como se tivéssemos dormido mais duas horas. Um estudo com mulheres entre os 30 e os 40 anos mostrou que, ao fim de algum tempo de utilização, parecia que estavam entre quatro a cinco anos mais novas», assegura a especialista.

Veja na página seguinte: A que cheira a renovação celular

Comentários