A estética rendida ao botox

Nos últimos anos, a toxina botulínica conseguiu impôr-se e conquistar o seu espaço. Saiba quem está mais habilitado a aplicá-la e veja quanto pode custar ficar com menos rugas

Apesar da toxina botulínica prestar inúmeros benefícios no tratamento de diversas doenças, são, sem dúvida, os seus efeitos médico-estéticos que a tornam tão popular. O seu maior cartão de visita neste campo é conseguir rejuvenescer visivelmente o rosto (ainda que temporariamente), através do relaxamento dos músculos faciais que marcam as rugas de expressão. Trata-se de uma técnica que requer exaustivos conhecimentos anatómicos e uma grande especialização para ser levada a cabo.

«Quando se pretende o célebre efeito estético, a sua aplicação deverá ser rigorosamente feita nos músculos que, após a anamnese e observação da face a tratar, das condições gerais da pele, da sua mobilidade, da sua mímica, e das contracturas excessivas, forem considerados responsáveis pelas rugas e sulcos excessivos», explica o diretor clínico do Instituto Ibérico de Medicina Estética, Francisco Carvalho Domingues.

Quem está habilitado a aplicar botox?

Para que o procedimento seja realizado com a maior segurança possível «é necessário um conhecimento profundo da anatomia das regiões a tratar», acrescenta o especialista. Ainda que se trate de um tratamento relativamente simples, requer um diagnóstico adequado do paciente, que inclui identificar correctamente as zonas de injeção e o cálculo preciso das doses a aplicar. Daí que, segundo as normas aprovadas pelo Infarmed, Instituto da Farmácia e do Medicamento, a aplicação do botox esteja reservada a médicos. 

«Na área médico-estética os profissionais mais habilitados serão os médicos especialistas em cirurgia plástica, estética e reconstrutiva, dermatologia, otorrinolaringologia e oftalmologia, e os médicos com treino em procedimentos médico-estéticos», enumera Francisco Carvalho Domingues. «Qualquer outro profissional não está habilitado a realizar estes tratamentos», sublinha Francisco Carvalho Domingues.

«Até porque existem alguns riscos a considerar e algumas contra-indicações a respeitar», esclarece. A lista inclui «certas doenças neuro-musculares, bem como o uso recente ou presente de alguns outros medicamentos não aconselham o recurso à toxina botulínica», acrescenta ainda. Se estas precauções não forem levadas em conta, o paciente pode correr graves riscos de saúde, já que uma incorrecta aplicação deste produto pode chegar até a paralisar o rosto.

Preço e aplicação

Os custos de uma sessão de aplicação de toxina botulínica com fins médico-estéticos poderão variar em função do médico ou da clínica que escolher, e também das áreas a tratar. Em média, o custo poderá variar de 300 a 500 €. Este é um tratamento rápido e minimamente invasivo em que o médico realiza apenas umas picadas nos músculos causadores das rugas para infiltrar pequenas quantidades de toxina botulínica.

Não é necessária anestesia ainda que possa adormecer-se a zona tratar com um creme anestésico antes da injeção. O processo inteiro dura aproximadamente 10 a 25 minutos e o incómodo é mínimo. A maioria dos pacientes comparam a sensação de desconforto com uma ligeira picada. Como efeitos colaterais podem surgir dor e vermelhidão no ponto onde se injecta o fármaco, dor no rosto e debilidade muscular. Efeitos que desaparecem ao cabo de uns dias.

artigo do parceiro:

Comentários