Cabelo de verão

Como o deve cuidar durante os meses de maior calor

Os longos dias de sol são prazerosos e estimulam o bom humor mas, como tudo o que é excessivo, não estão isentos de consequências.

Tal como a pele, o cabelo sofre um desgaste por causa da radiação solar, à qual se soma a ação do vento, dos mergulhos frequentes. Como resultado, ocorrem diversas alterações que o prejudicam, nomeadamente desidratação, fragilidade e, inclusive, mudanças de cor.

Felizmente, a cosmética moderna coloca à nossa disposição uma série de fórmulas protetoras, que impedem que as agressões danifiquem a fibra capilar, e reparadores, que garantem que se mantenha forte e flexível. Deste modo, as férias não se transformarão numa fonte de stress para o seu cabelo.

Cuidados à medida

Nem todos os cabelos reagem da mesma maneira ao sol, e convém tê-lo em conta no momento de escolher a proteção indicada para cada caso. Um cabelo forte e hidratado, por norma, sofrerá apenas de uma leve secura. No entanto, outros são mais vulneráveis.

Os cabelos finos, por exemplo, tornam-se quebradiços com facilidade, tal como os secos e crespos, que vão precisar de mimos para não perderem brilho e suavidade. Os cabelos claros também são sensíveis ao sol e acusam alterações de cor. Todos eles precisam de proteção mas os pintados precisam mais.

Por um lado, a sua cutícula é mais seca e porosa e protege-se pior; por outro, os pigmentos artificiais são frágeis, o que provoca perda de cor. Assim, já sabe. Reforce a proteção do cabelo, nutra-o para que a cutícula se mantenha lisa e fechada, e opte por fotoprotectores especiais para cabelos pintados.

Proteger de quê?

Durante o verão, o nosso cabelo fica exposto a inúmeros fatores ambientais nocivos:

- Sol

O sol emite, entre outras, radiações UVA (ultravioleta de tipo A). Estas oxidam os lípidos que protegem a fibra e mantêm a cutícula coesa, fragilizando-a ao destruir as suas proteínas e ao degradar os pigmentos, fazendo com que a cor sofra alterações e se altere.

- Água

Destrói a camada hidrolipídica, o que favorece a perda de humidade. Como penetra no interior do cabelo também tem a capacidade de expulsar os pigmentos dos cabelos pintados.

- Sal e cloro

O efeito do sal é prejudicial, já que abre e seca a cutícula, danificando a estrutura interna do cabelo. O cloro, por outro lado, tem fama de ser responsável pela tonalidade esverdeada que os cabelos claros adquirem apesar de, na realidade, os verdadeiros culpados serem alguns produtos químicos à base de cobre usados na limpeza das piscinas.

- Calor, vento e areia

Os dois primeiros, ao favorecer a evaporação, exercem uma ação que seca o cabelo. O vento também o embaraça, o que pode fazer com que se parta. Quanto à areia, absorve a humidade, arranha e tem uma ação erosiva sobre a fibra capilar.

Como proteger

Proteger, purificar, reparar. São os três passos que a ajudam a manter o cabelo tão bonito como no primeiro dia de verão, apesar das agressões:

1. O protetor solar

Serve para prevenir os danos provocados pelo excesso de sol e pelo sal, cloro ou vento, já que forma uma película que isola a fibra eficazmente. Por essa mesma razão também é útil para evitar a tonalidade esverdeada provocada pela água das piscinas.

Contém filtros solares anti-UVA, elementos filmogénicos que cobrem o cabelo e agentes hidratantes, regenerantes e antirradicais livres. Deve ser aplicado alguns minutos antes da exposição solar. As fórmulas em bruma são impercetíveis, em gel criam um efeito molhado, o cremes suavizam e os óleos são ótimos para cabelos secos.

2. O champô pós-solar

Serve para refrescar, limpar e retirar do cabelo e do couro cabeludo todo o tipo de resíduos e depósitos de sal, cloro. Contém bases lavantes muito suaves e tensioativas que reagem bem com a água calcária (da torneira), permitindo fazer espuma e evitando que a cal se deposite no cabelo. As fórmulas destes produtos incluem ainda agentes hidratantes, calmantes e refrescantes para aliviar a irritação do couro cabeludo.

Na sua composição, estes produtos incluem ainda ativos hidratantes e regeneradores e, às vezes, filtro solar para deixar o cabelo protegido após a lavagem. Aplica-se como um champô normal e de uso corrente. Use a quantidade mínima necessária, massaje com suavidade e insista no enxaguamento. Se conseguir fazê-lo com água fria (nunca gelada), vai reativar a microcirculação e aumentar o brilho.

3. Tratamento after-sun

Serve para ajudar o cabelo a recuperar das agressões sofridas pela exposição solar, bem como restabelecer e reforçar as suas defesas naturais (o manto hidrolipídico e a cutícula). Contém elementos regeneradores, sobretudo sob a forma de proteínas e aminoácidos para substituir os que se tiverem perdido. Também inclui ingredientes hidratantes e lípidos, como as ceramidas, que ajudam a restabelecer a camada hidrolipídica e a devolver coesão à cutícula.

Pode conter filtro solar. O modo de aplicação depende do formato, apesar de ser sempre conveniente distribuí-lo com um pente e massajar mecha a mecha para favorecer a sua penetração. Os mais clássicos são as máscaras e os condicionadores. Há alguns que não necessitam de tempo de pose ou enxaguamento. O mais recente? Os tratamentos noturnos, que se aplicam ao deitar.

Texto: Madalena Alçada Baptista

artigo do parceiro:

Comentários