Enfrente com otimismo o regresso às aulas e a rotina

Faça a contagem decrescente com estas dicas e conselhos para um regresso em grande.

Aproxima-se o fim das férias, e com ele, um dos acontecimentos mais marcantes na agenda das crianças e dos adultos: o regresso às aulas. As recordações das férias vão ficando para trás e há que voltar à rotina. Tudo isto significa mais disciplina, e o cumprimento dos horários e compromissos que exigem um esforço tanto para os filhos como para os pais. Ainda que para os mais pequenos o regresso às aulas signifique reencontrar amigos e professores, para muitos, voltar à escola representa uma mudança radical.

Mudanças de vida e novos horários para as crianças
Os meses de verão e as férias permitem que as crianças tenham um horário mais flexível e que por isso estejam mais relaxados, sem pressa para ir para a cama nem para acordar. Por isso, quando o despertador volta a tocar, muda tudo. Teresa Rosillo, psicóloga especializada na infância e em brinquedos para a Imaginarium, garante que “para que esta mudança não implique um esforço considerável, o processo de adaptação deve começar duas semanas antes do início das aulas.”

Para além dos horários, a criança deverá aprender a lidar com outras mudanças “pelo que é necessário que os pais transmitam às crianças que voltar à escola é algo positivo”.

Enfrentar com otimismo o regresso à rotina. Como?
O regresso às aulas pressupõe um regresso às obrigações: é preciso estudar e fazer os trabalhos de casa. Por este motivo, é importante que as crianças contem com o apoio dos seus pais e que eles participem em todo o processo. Por exemplo, indo juntos comprar o material escolar e os livros, arrumar a roupa, levá-los à escola ou dedicar alguns minutos à leitura ou a fazer exercícios.

Teresa Rosillo explica que as crianças reagem à mudança da mesma forma que os adultos: “ficam nervosos e ansiosos, e por isso é tão importante destacar as mudanças positivas e participar nelas”. É importante que comecem a trabalhar as atitudes positivas quanto antes, fixar objetivos para o novo ano escolar, e falar dos aspectos positivos do início de mais um ano lectivo, ajudando-os a desenvolver a sua autoestima. “É positivo que os pais falem com os seus filhos sobre os seus sonhos e expectativas” insiste Teresa Rosillo, “isso contribui para que se sintam protegidos e capazes de enfrentar as dificuldades que eventualmente possam surgir”.

Comentários