Uso de «tablets» e «smartphones» pode prejudicar a visão das crianças

O contacto excessivo com os aparelhos é responsável pelo aumento da miopia e de outros problemas visuais.

Basta observar crianças e adolescentes no recreio da escola ou nos corredores de um centro comercial e logo se identifica um denominador comum. Estão todos com os seus smartphones ou tablets na mão, a trocar mensagens, a jogar os jogos mais recentes ou ligados a redes sociais. Porém, o uso em demasia destes aparelhos tem prejudicado a visão das crianças e adolescentes.

 

É isto que defende a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO). Os especialistas são categóricos em dizer que tablets, telemóveis e computadores são contraindicados para os pequenos. «A geração atual está a desenvolver miopia, que é a dificuldade para ver ao longe, mais precocemente e em graus muito maiores do que as gerações anteriores», alerta a SPO.

 

A miopia tem vários fatores, sendo os mais importantes o genético e o ambiental. A doença está associada ao esforço acomodativo, isto é, ver coisas pequenas muito de perto, em movimento ou no escuro.

 

Se a criança passa muito tempo em frente ao computador, a jogos de telemóvel, a ler ou a ver televisão no escuro ou ainda ver filmes no DVD do automóvel, o cérebro entende que o importante é a visão de perto, que vai ficando cada vez melhor, em detrimento da visão ao longe, explicam os oftalmologistas.

 

Os aparelhos modernos são prejudiciais e o risco de ter a doença aumenta se a criança tiver predisposição genética, ou seja, míopes na família, ou se for detetada uma tendência num exame oftalmológico de rotina.

Comentários