Projeto ensina alunos a poupar no Grande Porto

O projeto de educação financeira “No Poupar está o Ganho” vai ser implementado este ano letivo em 136 turmas do 1.º ciclo do ensino básico de escolas da Área Metropolitana do Porto (AMP).

Criado e implementado pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda em 2009, este projeto tem por objetivo mostrar a importância da educação financeira e transmitir conhecimentos para o desenvolvimento de competências que permitam a tomada de decisões informadas e corretas.

Segundo fonte da Fundação, esta é a primeira vez que o projeto é implementado à escala metropolitana, abrangendo escolas dos 17 municípios, por ter sido reconhecido pela sua relevância e credibilidade.

O trabalho da Fundação nesta área teve início em 2008/2009, quando o Museu do Papel Moeda realizou um projeto de investigação-ação em colaboração com a Universidade do Porto para diagnosticar necessidades na comunidade envolvente, designadamente de três freguesias do Porto (Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde), tendo concluído que “a comunidade tinha grandes dificuldades financeiras e não sabia gerir corretamente os seus escassos recursos económicos”.

Para fazer face ao problema, acrescentou a fonte, “o Museu concebeu ‘No Poupar está o Ganho’, que foi já entretanto revisto para dar resposta aos temas do Referencial de Educação Financeira, publicado em 2013 pelo Ministério da Educação e Ciência".

Neste projeto, os alunos ficam a conhecer o conceito de gestão, sendo chamados a fazer – com a ajuda dos pais - um orçamento familiar, um plano de gastos, a estabelecer objetivos e prioridades na poupança e evitar o sobre-endividamento.

O trabalho é desenvolvido ao longo de todo o ano letivo.

Para assinalar o arranque desta 6.ª edição do “No Poupar é que está o Ganho”, a Fundação Cupertino de Miranda promove na terça-feira uma sessão de abertura que contará com a presença da presidente da Comissão Coordenadora do Plano Nacional de Formação Financeira.

Estarão ainda presentes nesta sessão responsáveis da Câmara do Porto, da Faculdade de Economia da Universidade do Porto e do Serviço de Educação do Museu do Papel Moeda.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários