Primeira mulher no mundo com útero transplantado está grávida

A gravidez tem riscos para a saúde da mulher turca e do bebé devido à utilização de imunossupressores e a um eventual parto prematuro

Uma turca de 22 anos, a primeira mulher a receber um útero de um dador morto, está grávida de cerca de duas semanas após um bem-sucedido transplante de embrião, disse hoje o seu médico.

 

Derya Sert está grávida de acordo com resultados preliminares, na sequência da fertilização “in vitro” no Hospital da Universidade de Akdeniz, na província de Antalya, no sul da Turquia, informou o seu médico Mustafa Unal numa declaração escrita, onde adiantou que a paciente “está muito bem”. Sert foi descrita como um “milagre médico” quando se tornou a primeira mulher no mundo a receber com sucesso, em agosto de 2011, um transplante de útero de um dador morto, no mesmo hospital.

 

A mulher nasceu sem útero, como uma em cada 5.000 em todo o mundo, e os médicos esperaram 18 meses antes de implantarem o embrião para garantir que o órgão estranho ainda continuava a funcionar.

 

O seu transplante de útero foi o segundo a ser realizado no mundo, depois de uma operação na Arábia Saudita em 2000 com um dador vivo. Este transplante falhou após 99 dias e os médicos tiveram de remover o órgão.

 

O bebé de Derya Sert deverá nascer por cesariana e o útero deve ser retirado nos meses após o nascimento para evitar complicações e o risco de rejeição, segundo a agência France Presse.

 

Os especialistas alertam, no entanto, que a gravidez tem riscos para a saúde da mulher turca e do bebé devido à utilização de imunossupressores e a um eventual parto prematuro.

 

Lusa

Comentários