Partilhar cama é o maior fator de risco para morte infantil

69% dos bebés falecidos subitamente partilhavam o local onde dormiam com outra pessoa

Partilhar a cama é o maior fator de risco de morte súbita infantil, particularmente entre bebés muito pequenos, afirmam cientistas americanos.

 

De acordo com um artigo publicado no jornal Pediatrics, 69% dos bebés falecidos subitamente partilhavam o local onde dormiam com outra pessoa quando morreram.

 

As descobertas basearam-se em dados oficiais referentes a 8.207 mortes de crianças relacionadas com o sono em 24 Estados americanos entre 2004 e 2012.

 

Os cientistas descobriram que os riscos eram diferentes para recém-nascidos até aos três meses e bebés entre os 4 e os 12 meses.

 

As crianças que morreram com menos meses de vida eram mais propensas à divisão da cama com um adulto (73,8% contra 58,9%).

 

Os bebés maiores que morreram durante o sono eram mais propensos a dormir de bruços e com objetos como cobertores ou bonecos de peluche.

 

A AAP (Academia Americana de Pediatria) recomenda que os bebés durmam numa superfície firme, num berço perto dos pais, mas não na mesma cama para evitar o risco de sufoco.

 

Os bebés também devem ser colocados de costas durante o sono. Almofadas, cobertores e brinquedos devem ser colocados fora da cama da criança, acrescentou a AAP.

 

Por SAPO Crescer com AFP

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários