Papa pede aos jovens para não reduzirem o amor ao sexo

O papa Francisco lançou esta terça-feira um apelo aos jovens para que se manifestem contra a “tendência generalizada para banalizar o amor” e reduzi-lo somente “ao aspeto sexual”.

O papa pediu aos jovens para serem “revolucionários” e que se mostrem “contra esta cultura”, numa mensagem dedicada a marcar a celebração, a 29 de março, da XXX jornada Mundial da Juventude.

“Convido-vos a descobrir a beleza da vocação humana de amar, peço-vos que se revelem contra essa tendência generalizada de banalizar o amor”, refere a mensagem do Papa, divulgada pela assessoria de imprensa do Vaticano e citada pela agência de notícias espanhola EFE.

Francisco disse que quando se limita o amor somente ao aspeto sexual, este é “privado das suas características essenciais de beleza, companheirismo, fidelidade e responsabilidade”.

O papa afirmou que muitos pregam que o importante é desfrutar do momento, que não vale a pena um compromisso para toda a vida e fazer escolhas definitivas para sempre, porque não se sabe o dia de amanhã.

“Eu, ao contrário, peço-vos que sejam revolucionários, que vão contra a corrente; sim, estou a pedir-lhes que se revelem contra esta cultura do provisório, que, no fundo, crê que vocês não são capazes de assumir responsabilidades e de amar verdadeiramente”, frisou Francisco.

Jorge Mário Bergoglio recomendou também aos jovens que leiam todos os dias “uma passagem” do Evangelho.

O papa exortou ainda a juventude a rejeitar a ideia de que o casamento “é uma instituição ultrapassada”, acrescentando que "isso é mentira" e que essa vocação “não passou de moda”.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários