OMS recomenda proibição da venda de cigarros eletrónicos a menores

Consumo pode ter consequências a longo prazo no desenvolvimento do cérebro

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou esta terça-feira a proibição da venda de cigarros eletrónicos aos menores de idade, por considerar que o consumo do produto representa "graves ameaças" para os adolescentes e também para os fetos.

 

Os especialistas defendem ainda a proibição do consumo nos espaços públicos fechados, "pelo menos até que fique demonstrado que o vapor exalado não é perigoso para as pessoas", segundo um documento divulgado esta terça-feira pela OMS.

 

"As provas existentes demonstram que os cigarros eletrónicos não são apenas vapor de água, como afirmam com frequência os fabricantes", destaca a OMS.

 

"O uso representa graves ameaças para os adolescentes e os fetos", assevera o comunicado.

 

De acordo com a OMS, há provas suficientes para advertir as crianças, adolescentes, mulheres grávidas e mulheres em idade para procriar sobre as consequências a longo prazo que o consumo de cigarros eletrónicos pode ter no desenvolvimento do cérebro.

 

A organização divulgou as recomendações por ocasião da sexta reunião da Conferência das Partes sobre o Convínio Marco da OMS para o Controlo do Tabaco, que acontecerá de 13 a 18 de outubro em Moscovo, na Rússia.

 

Por SAPO Crescer com AFP

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários