Novo estudo diz que wi-fi é perigoso para as crianças e bebés

O estudo canadiano destaca que as crianças absorvem uma maior quantidade de radiação de microondas do que os adultos devido à fragilidade do seu corpo e à plasticidade do cérebro.
créditos: AFP

Um estudo do Institute for Research in Immunology and Cancer, da Universidade de Montreal, no Canadá, sugere que a exposição à internet sem fios é mais perigosa para as crianças do que se acreditava.

Os autores da investigação, publicada no Journal of Microscopy and Ultrastructure, garantem que as crianças e os adolescentes estão em considerável risco diante de aparelhos que geram microondas, entre eles os dispositivos wi-fi. Ao mesmo tempo, argumentam que os adultos estão perante um "perigo menor", mas ainda assim "significativo".

O estudo destaca que as crianças absorvem uma maior quantidade de radiação de microondas do que os adultos, sendo que os fetos são ainda mais vulneráveis do que as crianças. Os autores explicam que os corpos infantis são relativamente pequenos, os crânios mais delgados e sensíveis e o tecido cerebral mais absorvente.

A investigação sugere ainda que as mulheres grávidas evitem a exposição a radiação de microondas.

De forma geral, o estudo cria ainda uma ligação de causalidade entre wi-fi e cancro do cérebro, glândulas salivares e mama.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários