Mil escuteiros trocam telemóvel e computador pela natureza

Cerca de mil escuteiros do Alto Minho vão, durante dois dias, trocar as novas tecnologias pelos valores de cidadania e pelo contacto com a natureza num encontro que vai assinalar a abertura do Ano Escutista.

(FOTO DE ARQUIVO)

créditos: CRISTINA FERNANDES / LUSA

Segundo o chefe do agrupamento 374 dos Escuteiros de S. Miguel de Alvarães, Eugénio Barreto, a iniciativa vai decorrer no sábado e no domingo naquela freguesia do concelho de Viana do Castelo com a participação de cerca de mil jovens, dos seis e os 22 anos de idade.

O objetivo é que os participantes "deixem em casa todas as ferramentas ligadas às novas tecnologias, para se dedicarem a atividades ao ar livre, e à entreajuda".

"Os miúdos em casa estão sempre com os computadores, telemóveis e ligados à Internet. Aqui, no escutismo, esquecem essas tecnologias porque têm muitas atividades e convívio físico", assegurou o chefe daquele agrupamento, Eugénio Barreto.

Para Eugénio Barreto, escuteiro há 43 anos, o escutismo é uma "escola de atitudes e valores que devem ser ampliados e promovidos por serem cada vez mais importantes para a sociedade.

Trata-se da primeira vez que a freguesia de Alvarães, na margem esquerda do rio Lima, vai receber a abertura do ano Escutista de Viana do Castelo, sendo que a ocasião vai ser aproveitada para "dar a conhecer o património natural local".

O encontro tem, este ano, como tema "Edificar a paz", e vai realizar-se em regime de acantonamento para os lobitos, e de acampamento para as restantes secções.

O encontro terminará com uma eucaristia presidida pelo bispo de Viana do Castelo, Anacleto de Oliveira.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários