Mais de 1,2 milhões de alunos regressam à escola em todo o país

Mais de 1,2 milhões de alunos começam esta semana as aulas num ano em que os mais novos vão poder aprender, pela primeira vez, Latim ou Grego e os mais velhos Mandarim.

Este ano a escola começa cerca de uma semana mais tarde do que o habitual, segundo o calendário definido pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), que dá aos diretores escolares a liberdade de escolher o dia em querem começar as aulas, entre os dias 15 e 21.

No total, serão 5.878 estabelecimentos de ensino que vão receber os cerca de um milhão e duzentos mil alunos da rede do ensino público, segundo os dados mais recentes do MEC.

Depois de o ano passado ter ficado marcado pelos atrasos na colocação de professores, este começa com boas notícias no ensino das línguas mas também com problemas em torno do ensino artístico.

Pela primeira vez, os alunos mais novos vão todos aprender inglês, mas também poderão ter aulas e decobrir curiosidades sobre o Latim e o Grego, graças a um novo projeto de Introdução à Cultura e Línguas Clássicas.

Um dos objetivos desta iniciativa, destinada aos alunos desde o 1.º ao 9.º ano, é inverter a tendência dos últimos anos que quase condenou o Latim e o Grego ao esquecimento.

Inglês passa a ser obrigatório no terceiro ano

Outra novidade é a obrigatoriedade do ensino do Inglês para todos os alunos que agora entram para o 3.º ano.

A mudança obrigou à definição da habilitação profissional para lecionar inglês no 1.º ciclo e a criação de um novo grupo de recrutamento que esteve a decorrer durante todo o ano.

Comentários