Humor de imitação

As crianças não conseguem distinguir entre piadas e erros antes dos 18 meses, indica novo estudo.

Psicólogos da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, descobriram que as crianças aprendem a identificar o comportamento engraçado, tal como um pai a brincar com um boneco de peluche, a partir dos 18 meses.

 

Mas as piadas que são mais difíceis de distinguir de ações normais levam mais tempo a serem compreendidas, e muitas vezes são erroneamente interpretadas como erros até a idade de dois e três anos.

 

Os pais podem ajudar os filhos a desenvolverem o sentido de humor, falando com uma voz diferente quando estão a fazer algo engraçado para mostrar claramente que estão a brincar.

 

Meredith Gattis, psicóloga da Universidade de Cardiff, afirma que «Quando pusemos um animal de brincar em cima da cabeça e rimos, a maioria das crianças ente os 19 e os 24 meses de idade perceberam que era uma ação com piada e imitaram. Em contraste, se um investigador tentava escrever com o lado errado da caneta e mostrava algum desapontamento, a maioria das crianças percebiam que era um erro e corrigiam-no.»

 

Crianças com apenas um ano de idade começaram a personificar outras pessoas, aprenderam a rir de piadas físicas pouco depois e conseguiram distinguir entre o que tem piada e o que não tem por volta dos dois anos de idade, segundo os investigadores.

 

Só por volta dos seis ou sete anos é que as crianças começam a compreender o humor baseado na linguagem, tais como charadas, trocadilhos e outros jogos de palavras.

 

«As crianças aprendem muitas coisas, inclusive como ser engraçado, imitando os adultos», diz Meredith Gattis. «A nossa investigação mostra que a idade crítica para a compreensão do humor é por volta do segundo aniversário.»

 

«Por volta dos dois anos de idade, a criança começa a perceber quando lhe dizem para fazer algo que é completamente errado, mas engraçado. Esta descoberta ajuda-nos a construirmos uma imagem precisa de como as crianças desenvolvem uma compreensão da mente das pessoas», declara a psicóloga

 

Este estudo, parte de um projeto com a duração de 10 anos sobre desenvolvimento infantil, analisou a importância da imitação para a aprendizagem das crianças.

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários