Hormona do amor ajuda cérebro autista

A «hormona do amor» oxitocina altera a atividade cerebral de crianças com autismo e torna-as mais sociáveis, de acordo com investigadores americanos.

O papel da hormona ocitocina, conhecida como «hormona do amor», na ajuda a crianças com autismo tem sido debatido, com estudos a mostrarem dados contraditórios.Tomografias cerebrais, relatadas na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, sugerem que há um efeito positivo.

 

A oxitocina é produzida naturalmente pelo organismo, desencadeia o trabalho de parto e está envolvida na vinculação mãe-bebé.


Foram administrados a 17 crianças com autismo, com idades compreendidas entre os oito e os 16 anos, dois sprays nasais – um contendo oxitocina e ou outro sem qualquer medicamento.


Depois de tomar cada um, o impacto sobre a atividade cerebral foi gravado num scanner ao mesmo tempo que eram mostradas às crianças fotografias «sociais» de rostos humanos ou fotografias «não sociais» de automóveis.


As zonas do cérebro normalmente associadas a situações sociais apareceram mais ativas depois de as crianças terem inalado oxitocina.

.

.

Comentários