Governo britânico apoia FIV a três

O Governo britânico vai produzir legislação até ao final do ano de 2013 e o procedimento poderá estar disponível dentro de dois anos.

O Reino Unido vai tornar-se no primeiro país a permitir a criação de bebés com o recurso a ADN de três pessoas, depois de o Governo ter apoiado a nova técnica de fertilização in vitro, anunciada no passado mês de março e noticiada no Sapo Crescer.

 

Especialistas dizem que a fertilização in vitro a três poderá eliminar doenças mitocondriais debilitantes e potencialmente fatais que são passadas de mãe para filho.

 

Os opositores dizem que é antiético e pode empurrar o Reino Unido para um «abismo». Também argumentam que os casais afetados podem adotar crianças ou recorrer a dadoras de óvulos em vez de recorrerem a esta técnica controversa.

 

As mitocôndrias são as pequenas «centrais energéticas» biológicas que fornecem energia ao corpo humano. São passadas pela mãe ao filho, através do óvulo. Mitocôndrias defeituosas afetam um em cada 6500 bebés. Tal pode deixá-los carentes de energia, resultando em fraqueza, cegueira, insuficiência cardíaca e morte, em casos mais extremos. A investigação sugere que o uso de mitocôndrias a partir de um óvulo de uma dadora poderá prevenir estas doenças.

 

Prevê-se que até 10 casais beneficiariam deste tratamento, anualmente. No entanto, isto resultaria em bebés com ADN de dois pais e uma pequena quantidade de um terceiro dador, uma vez que a mitocôndria tem o seu próprio ADN.

Comentários