Crianças estão mais lentas a correr

Uma grande quantidade de crianças não é capaz de correr tão rápido quanto os seus pais quando eram jovens.

Especialistas em condição física afirmam que o seu estudo – que será apresentado na reunião anual da Associação Americana do Coração – sugere que os níveis de aptidão física das crianças podem estar em declínio.

 

Os investigadores analisaram 46 anos de dados que envolvem mais de 25 milhões de crianças de 28 países.

 

Em média, as crianças de hoje correm uma milha (1,6 quilómetros) 90 segundo mais lentamente do que os seus homólogos de há 30 anos, afirmam no estudo.

 

Obesidade

Nos países analisados, a resistência cardiovascular – padrão pelo quão longe as crianças podem correr num período de tempo definido – tem diminuído consistentemente cerca de 5 por cento por década, de acordo com as descobertas.

 

O declínio é observado em rapazes e raparigas e em todas as idades compreendidas entre os 9 e os 17 anos, e está ligada à obesidade, com alguns países a terem um desempenho pior do que outros.

 

O investigador Grant Tomkinson, da Escola de Ciências da Saúde da Universidade da Austrália do Sul, disse: «Na verdade, cerca de 30 a 60 por cento das quebras no desempenho na corrida de resistência podem ser explicadaa pelo aumento da massa gorda».

 

O problema é que uma grande parte dos países ocidentais, mas em algumas partes da Ásia, como a Coreia do Sul, China continental e Hong Kong também estão a braços com este fenómeno.

 

Grant Tomkinson considera que as crianças precisam ser inspiradas e encorajadas a fazer exercícios mais vigorosos, «caso contrário, as consequências para a saúde pública podem ser terríveis».

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários