30% das crianças com 10 anos têm excesso de peso ou são obesas

Declínio da atividade física demonstra impacto no aumento do excesso de peso e da obesidade em todo o mundo

De acordo com o Estudo Internacional de Obesidade Infantil, Estilo de Vida e Meio Ambiente (ISCOLE), cerca de 30% dos jovens com 10 anos têm excesso de peso ou são obesos.

 

A investigação foi realizada em 12 países, tendo por base uma amostra de 6.000 crianças, e os resultados preliminares foram apresentados durante o V Congresso Internacional de Atividade Física e Saúde Pública, que decorreu no Rio de Janeiro.

 

O objetivo deste estudo passou por apresentar uma análise da situação atual das crianças a este respeito a nível internacional, que contribua e sirva como uma ferramenta para o futuro da prevenção do excesso de peso e obesidade infantil, com foco nos dois pontos principais do balanço energético: relacionamento entre a ingestão e o dispêndio de calorias.

 

Este Congresso Internacional, que reuniu vários especialistas de diferentes disciplinas na área de saúde, nutrição e atividade física, abordou especificamente o declínio da atividade física na população e o seu impacto no aumento do excesso de peso e obesidade por todo o mundo.

 

Sobre a relação inversa entre o exercício físico e obesidade, o investigador Robin Shook, Professor da Universidade da Carolina do Sul, salientou que “se a atividade física for aumentada também se pode aumentar a ingestão de calorias para compensar e manter o peso corporal, mas tal não ocorre no sentido oposto”.

 

Falta de sono

 

Durante o Congresso Internacional, outros dos especialistas participantes expressaram a sua preocupação sobre o efeito do excesso de peso derivado da falta de sono entre as crianças.

 

Neste sentido, 49,5% das crianças que participaram do estudo ISCOLE não dormiam as horas de sono necessárias para a sua idade, estabelecidas entre 8,5 e 9,5 horas.

 

Por SAPO Crescer

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários