Vamos mudar de casa

Uma mudança de casa ou de cidade, independentemente das circunstâncias, sempre supõe muito trabalho e algumas dores de cabeça para a família.

Nem sempre estamos preparados para as mudanças. E se isso é uma dificuldade para os adultos, pode ser stressante para as crianças. Pode representar um problema para os menores, se não forem preparados com antecedência para a nova realidade.

 

Como tudo, a reação de uma criança perante uma mudança de casa dependerá muito da idade que tenha. Até aos 2 ou 3 anos de idade, a sua reação não requer preocupações. Nesta idade, as crianças podem adaptar-se perfeitamente às mudanças. Sentirão, é claro, se perceberem que os pais se inquietam ou se preocupam. No caso de mudança de casa, as crianças necessitarão que os pais lhes transmitam uma mensagem de tranquilidade e segurança.

 

Explicar a uma criança pequena sobre uma mudança de casa pode tornar-se algo muito divertido. Utilize algum conto, ou simule uma história de famílias que trocam de casa recorrendo a plasticina, desenhos, brinquedos, ou o que estiver à mão. A diversão e a informação estarão asseguradas.

 

Conselhos para a mudança com a criança

 

No caso de crianças maiores, a partir dos 3 anos de idade, alguns psicólogos aconselham que os pais sigam alguns passos:

 

1 - Deve explicar-se claramente à criança, e de uma forma positiva, o porquê da mudança. E no caso de a criança fazer perguntas, não a deixe sem respostas.

 

2 - É aconselhável que familiarize a criança, da melhor forma possível, com a nova casa, a vizinhança, etc. Mostre-lhe fotografias e mapas. Se for possível, leve o seu filho a visitar a nova casa antes da mudança.

 

3 - Explique à criança as vantagens que terá ao mudar de casa. Diga que fará novos amigos, que terá uma nova casa, e concentre-se somente nos benefícios que trará a mudança.

 

4 - As crianças gostam de novidades. Descreva o lugar onde está localizada a nova casa ou apartamento. Anime-a dizendo que terá parques, muito verde, mais espaço para brincar, que estará mais perto da escola, e do que ocorrer, desde que seja verdade.

 

5 - Vá adiante das preocupações que possa ter o seu filho. Diga, por exemplo, que ele não perderá os amiguinhos de toda uma vida. Que continuarão a encontrar-se sempre que for possível.

 

6 - Quando a mudança estiver feita, anime a criança a explorar o local, a descobrir locais especiais, além de pedir a sua ajuda para decorar o novo quarto e determinar lugares para os brinquedos.

 

7 - O melhor momento para uma mudança de casa é no período das férias escolares, ou de algum feriado longo. Se vê que o seu filho pode colaborar, inclua-o nos trabalhos da mudança. Mas se percebe que o seu filho não se interessa ou que é indiferente, é melhor que fique, durante os dias da mudança, em casa de algum familiar ou de algum amigo de confiança. Assim o manterá afastado de todo o stresse que pode ser uma mudança.

 

8 - Convide o seu filho a separar os brinquedos que quiser levar para a nova casa e a colocá-los numa caixa. Se a criança já sabe escrever, peça-lhe que coloque uma identificação na caixa.

 

9 - Evite que a mudança de casa coincida com outras mudanças na vida da criança. Por exemplo, com as mudanças do berço para a caminha, com a retirada das fraldas e muito menos no meio de uma separação do casal. Cada mudança na sua hora.

 

Maria João Pratt

 

Fontes: Aemigrar.com e Kidshealth.org

artigo do parceiro:

Comentários