Telemóveis para crianças

O telemóvel é um dos pedidos mais frequentes dos mais pequenos, mas há sempre que pensar se devemos ceder ou não e quais as melhores opções do mercado.

Criado para ser uma ferramenta para os homens e mulheres de negócios conduzirem as suas atividades, o telemóvel foi rapidamente adotado pelos adolescentes, e de maneira tão intensa que muitos não conseguem viver sem ele, quase se tornando uma parte do seu próprio corpo. Mais recentemente este fenómeno também está a atingir as crianças, que desejam os telemóveis desde muito pequenas. A forma como os pequeninos utilizam o aparelho varia: uma espécie de brinquedo para alguns, um rádio ou mesmo câmara para outros.

No grupo dos 7 aos 10 anos as crianças estão muito interessadas no telemóvel como um aparelho, ou seja utilizam-no mais como uma máquina de jogos do que como uma ferramenta de comunicação. No entanto, muitas vezes acabam por se esquecer de levar o telefone consigo, ou então esquecem-se muito facilmente dele em locais públicos.

Já para as crianças dos 10 aos 12 anos, o telemóvel ocupa uma posição mais central e conduz ao início da febre do telemóvel, idade em que a importância dos passatempos e dos amigos também aumenta, e a dos jogos e brinquedos diminuem. Deste modo, o telemóvel torna-se um aparelho importante como uma ferramenta de comunicação entre os amigos.

Os adolescentes são outra faixa etária... Hoje em dia é complicado um adolescente não ter telemóvel, e os pais têm de perceber isso. Há uma série de ‘brinquedos’ dentro de um telemóvel que os podem até ajudar, por exemplo, a ultrapassar a timidez e a viver melhor algumas etapas mais complicadas da adolescência. O início da vida afetiva, por exemplo, é muito mais fácil desde que existem SMS.

Comentários