Regresso à escola sem traumas

Dicas para o regresso às aulas podem ajudar a aliviar a sobrecarga sensorial em crianças.

A transição do verão para um novo ano escolar é difícil para qualquer criança, mas é particularmente difícil para crianças que têm problemas em processar novas sensações, de acordo com um especialista sobre o que é conhecido como «transtorno de processamento sensorial».

 

O transtorno de processamento sensorial é um problema neurológico que afeta o comportamento e a aprendizagem. Para as crianças com este transtorno, muita sobrecarga sensorial ou o tipo errado de estimulação podem conduzir a problemas com a atenção, a coordenação e a impulsividade conforme a criança tenta aumentar ou diminuir as sensações que está a vivenciar.

 

Varleisha Gibbs, professora de terapia ocupacional da Universidade de Ciências de Filadélfia, nos Estados Unidos da América, explicou que a transição do regresso à escola interrompe as rotinas diárias que essas crianças tenham estabelecido durante o verão. Observou, no entanto, que planear com antecedência pode ajudar a aliviar o stress dessa transição.

 

«Os alunos com distúrbios do processamento sensorial tipicamente lutam com adaptação à mudança», disse Varleisha Gibbs em comunicado da universidade. «Um novo ano escolar traz uma abundância de mudanças, incluindo novos professores e colegas de turma, horários e rotinas, salas de aula e configuraçõe , bem como as novas exigências e expectativas em sala de aula.»

 

Para facilitar a transição para um novo ano escolar para crianças com distúrbios do processamento sensorial, a especialista recomendou que as crianças, os professores e os pais ou os cuidadores sigam os seguintes passos:

 

1 – Planeie uma visita

Antes do primeiro dia de aulas, organize uma visita à escola para familiarizar a criança com o ambiente escolar e com o professor. Se possível, tire fotos dos ambientes para ajudar a criança a aclimatar-se ao ambiente antes do tempo.

2 – Seja pró-ativo

Informa antecipadamente a escola sobre a terapia da criança. Sessões particulares de terapia ocupacional de uma criança devem ser coordenadas com qualquer terapia oferecida pela escola para que não se sobreponham.

3 – Organize um kit sensorial

Certos dispositivos podem ajudar a manter a criança calma e concentrada durante um momento stressante de transição. Esses objetos incluem bolas e almofadas antisstress, pastilhas elásticas e música com fones de ouvido. Os professores também podem fornecer uma variedade de opções de lugares nas salas de aula, incluindo pufes e bolas de terapia.

4 – Seja recetivo

Porque nem todas as crianças com distúrbios do processamento sensorial são incluídas na educação especial, comunicar as necessidades de uma criança aos professores e responsáveis da escola pode ajudar a garantir que as crianças são capazes de beneficiar das suas estratégias calmantes. Por exemplo, essas crianças podem precisar de mascar pastilha elástica na sala de aula ou ouvir música por fones entre as aulas.

5 – Faça as compras cedo

Compre mochilas e roupas escolares com bastante antecedência para que as crianças possam experimentá-las e identificar todos as peças que sejam incómodas ou desconfortáveis. Certifique-se de que remove todas as etiquetas, lavaa roupa e encontra roupa interior que pode aliviar qualquer irritabilidade do tecido em contato com a pele.

6 – Dê o exemplo

Quando os pais estão calmos e serenos, é mais fácil que as crianças se sintam da mesma forma com o regresso à escola.

 

 

Adaptado de Yahoo Health por Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários