Mochilas pesadas podem danificar coluna vertebral das crianças para sempre

O transporte de mochilas escolares pesadas pode trazer repercussões, a longo prazo, para a saúde das crianças. Quem o diz é o médico Paulo Pereira, coordenador da campanha "Olhe Pelas Suas Costas", que alerta para a importância da escolha correta das mochilas escolares.

"Cada vez mais as crianças são submetidas ao transporte de carga excessiva e, grande parte das vezes, os pais nem pensam nos malefícios deste peso. A mochila escolar transporta uma quantidade enorme de livros e outros materiais que, provavelmente, a criança não vai utilizar nesse dia, uma situação que exige uma atenção extra por parte dos pais", revela o médico Paulo Pereira.

E acrescenta: "O que eu aconselho a todos os pais e cuidadores é que no momento da compra optem por mochilas de material leve e resistente, com costas almofadadas e duas alças ajustáveis. Após a compra, a atenção dos pais deve ser direcionada para o peso que a criança transporta na mochila que, idealmente, não deveria ultrapassar dez por cento do peso da criança. A título de exemplo, uma criança com 30 quilos, não deveria transportar uma mochila com um peso superior a três quilos".

De acordo com o neurocirurgião, "o transporte repetido de uma mochila pesada pode condicionar, no futuro, problemas graves para as costas das crianças. Para além das dores nas costas de que provavelmente as crianças se queixam no dia-a-dia, este hábito pode provocar um desgaste acrescido da coluna vertebral da criança ao longo do tempo, prejudicando gravemente a sua saúde a longo prazo".

Depois de acertar com o peso da mochila, vem a organização dos materiais dentro da mesma. O médico revela que "colocar os objetos mais pesados no fundo da mochila e distribuir corretamente os materiais, no caso de mochilas com compartimentos laterais, vai ajudar a equilibrar o peso transportado e a evitar lesões de sobrecarga nas costas da criança".

As dores nas costas são a causa mais frequente das visitas ao médico. As doenças que afetam a coluna representam mais de 50 por cento das causas de incapacidade física. Estima-se que 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas.

Três dicas do médico Luís Teixeira

  1. Pese as mochilas dos seus filhos antes de saírem de casa. Se a carga exceder 15% do seu próprio peso, então é necessário retirar carga. Esta é uma recomendação que deve ser respeitada de forma rigorosa, gerindo o horário da criança de forma o mais atenta possível. Por exemplo, sempre que não necessários, os livros devem ficar na escola, nos cacifos.
  2. Procure mochilas de duas alças e um bom suporte, em que o peso possa ser suportado uniformemente. Por outro lado, quando impossível de contornar a medida, a opção pontual deve ser por uma mala com rodas. Ao contrário do que muitas vezes se pensa, esta não é uma solução que resolva o problema, mas que apenas o minimiza. No dia-a-dia o correto é sempre controlar a carga transportada.
  3. Corrija os seus filhos se a mochila estiver a ser transportada com as alças muito soltas: quando se encontra já perto do fim das costas, a pressão causada na coluna é muito elevada. Todas as mochilas devem ter as alças apertadas e justas para que não haja oscilação de peso.
Veja ainda: Estes 6 erros comuns estão a dar-lhe cabo das costas

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários