Como evitar o açúcar na alimentação do seu filho

Comer açúcar é desnecessário para a saúde do organismo humano, principalmente para o de uma criança. A verdade é que muitos dos alimentos considerados infantis contêm uma taxa de açúcar muito alta. Veja algumas formas de contornar a situação.

Quatro ou cinco colheres de chá: essa é a quantidade aproximada de açúcar que a AHA (American Heart Association) recomenda que as crianças ingiram por dia. O açúcar em excesso é um perigo, e não é só para os dentes. O consumo exagerado de açúcar na infância pode favorecer o ganho de peso excessivo. Também existem fortes evidências de que muito açúcar na dieta aumenta o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, gota, fígado gorduroso e alguns tipos de cancro. Outra preocupação é o aumento da hiperatividade com redução na capacidade de concentração e irritabilidade. O alto consumo de doces, rebuçados e refrigerantes pode aumentar a concentração de insulina e adrenalina no sangue, que em excesso provocam ansiedade, excitação e dificuldade de concentração nas crianças.

O açúcar naturalmente presente nos alimentos, como frutas, raízes, cereais e verduras faz parte de uma alimentação saudável. Pois, fornecem energia e ao mesmo tempo nutrem a criança com proteínas, gorduras saudáveis, vitaminas, minerais e compostos bioativos. Para as atividades do dia a dia, correr, jogar bola e estudar, as crianças necessitam de muita energia! A atenção dos pais devem estar nos produtos industrializados, pois a maior parte do açúcar consumido hoje está "escondido" nos alimentos processados. A indústria utiliza diversos tipos de açúcar, especialmente sacarose, xarope de glicose e xarope de milho, que são desnecessários para a saúde e prejudicam o metabolismo dos carboidratos e também das gorduras, elevando rapidamente a glicose no sangue e favorecendo o acúmulo de gordura corporal e sanguínea.

Veja então algumas dicas para reduzir o consumo de açúcar da alimentação de seu filho:

1- Nos primeiros meses de introdução dos alimentos (6 aos 12 meses de vida) não dê alimentos açucarados (banana esmagada com açúcar ou mel ou geleia, por exemplo) ao bebé. Nesse período a criança está a descobrir os sabores e os alimentos devem ser ofertados com o seu sabor original, sem acréscimo de açúcar ou sal.

2- Não dê refrigerantes ao seu filho. São ricos em açúcar, sal, aditivos químicos e cafeína (com exceção de alguns) contribuindo para o aparecimento de dislipidemias, hipertensão e diabetes. Se o seu filho adora refrigerantes, limite o consumo para eventos como festas de aniversário e nos demais dias ofereça sumo natural caseiro ou água.

Leia ainda: Sabe como o vício na tecnologia pode prejudicar uma criança?

Comentários