Prevenir a gripe

Nos últimos dias, têm surgido notícias que apontam para um pico do surto da gripe em fevereiro. Saiba o que pode e deve fazer para a prevenir.

A Direção Geral de Saúde emitiu recentemente um comunicado, no qual explica o que é a gripe e o que pode deve fazer para a evitar.

Antes de mais, convém esclarecer que a gripe é uma doença aguda viral, que afeta, sobretudo, as vias respiratórias. Entre novembro e março, é a altura em que a doença mais se manifesta no nosso país, e os grupos de risco associados a esta patologia são os idosos com mais de 65 anos; todos os que tenham doenças crónicas; crianças com mais de seis meses; grávidas com mais de 12 semanas de gestação e profissionais de saúde ou cuidadores que trabalhem com idosos ou crianças.

Sintomas de gripe

Os sintomas de gripe são diferentes no adulto, criança ou bebé. No caso dos adultos, sente-se um início súbito de mau-estar, febre alta, dores musculares e articulares, dores de cabeça e tosse seca. Também pode surgir inflamação nos olhos. Já no caso das crianças os sintomas dependem da idade. Os bebés podem manifestar febre e prostração, sendo que as náuseas, vómitos, diarreia, laringite e broquiolite também são sintomas frequentes. As crianças até aos 3 anos também podem manifestar otite média. No caso das crianças mais crescidas, os sintomas são similares aos sintomas sentidos pelo adulto.

O período de incubação da gripe, ou seja, o tempo que demora entre o momento em que a pessoa é infetada e o aparecimento dos primeiros sintomas, é de cerca de 2 dias, mas pode chegar aos 5 dias. Já o período de contágio começa 1 a 2 dias antes do início dos sintomas e vai até 7 dias depois.

Habitualmente, a gripe é uma doença que dura até 4 dias, com sintomas de intensidade ligeira ou moderada, evolução benigna e uma recuperação completa em 1 ou 2 semanas. Contudo, no caso das pessoas idosas e doentes crónicos, a recuperação pode ser mais demorada e o risco de complicações também é maior.

Comentários