Morreu o Chefe Silva, o mestre da Teleculinária

O mais conhecido cozinheiro televisivo, Chefe Silva, morreu hoje aos 81 anos, avança a Antena 1.

António da Silva, o conhecido chefe de cozinha tornou-se mediático com a revista Teleculinária, da qual foi o fundador, e também pelos inúmeros programas televisivos em que participou na RTP.

Oriundo da Vila Termal de Caldelas, no concelho de Amares, mudou-se para Lisboa aos 18 anos onde trabalhou no atual Turim Suisso Atlântico Hotel e, depois, no Hotel Império.

Com 24 anos, viajou até Maputo onde se tornou chefe de cozinha do Hotel Girassol, do Hotel Xai-Xai e do restaurante do aeroporto local. De regresso a Lisboa, trabalhou no Hotel Avenida Palace e deu aulas na Obra das Mães e no Instituto Culinária Margarina Vaqueiro.

Após ter terminado o curso na Escola de Hotelaria de Lisboa com distinção, foi chefe do Grill do Hotel Altis e depois diretor de Produção da Eurest Portugal. Mais tarde inaugurou o restaurante Super Chefe, em Lisboa.

Em 1975 estreou-se na RTP. No seu programa de culinária, apresentava as receitas da revista Teleculinária, onde ocupou a posição de diretor técnico durante 30 anos.

Foi autor de diversos livros de culinária e agraciado com vários prémios e medalhas. Foi membro honorário de diversas confrarias gastronómicas nacionais e internacionais e fundador e presidente da Associação de Cozinheiros e Pasteleiros de Portugal. Foi também membro honorário da Academia do Bacalhau em Nova Jérsia.

Em 2004, foi homenageado pela Câmara Municipal de Amares com o descerramento de uma placa toponímica com o seu nome na Vila de Caldelas, sua terra natal.

A causa da morte ainda não é conhecida. A cerimonia fúnebre está marcada para as 17:30 de quinta-feira, na Igreja paroquial de Santiago de Caldelas.

Comentários