Fernanda Serrano: “Quero esquecer e ser feliz!”

Nove meses depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro de mama, a actriz conta toda a história da sua luta pela vida.

Nove meses depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro de mama, a actriz Fernanda Serrano convocou ontem os jornalistas para contar toda a história da sua luta pela vida.

Ainda não usa a palavra "curada", situação que só poderá confirmar com toda a certeza lá para 2013, mas acredita que o perigo já passou. Agora, Fernanda só quer "esquecer e ser feliz".

Ficam aqui os principais pontos do discurso emocionado de Fernanda Serrano. CRONOLOGIA DA DOENÇA

"Um dia depois do nascimento da minha filha Laura, em Fevereiro passado, detectei um nódulo. Nunca imaginei que seria aquele o diagnóstico, mas a verdade é que fiquei bastante alerta. Depois de amamentar, fiz uma ecografia mamária seguida de biópsia. Uma semana depois, foi-me diagnosticado cancro de mama. Obtive uma primeira perspectiva médica não muito favorável, aliás, devastadora. Fui em busca, então, de uma segunda opinião, a do doutor Santos e Costa, e foi com essa que fiquei, por ter encontrado confiança nela. Fui submetida a uma intervenção cirúrgica no dia 7 de Março, na Clínica de Santo António. Fiz um tumorectomia, que retirou o tumor e conservou a mama. Fiz seis ciclos de quimioterapia e 33 de radioterapia de forma preventiva, já que o meu diagnóstico na altura era favorável. Acabei os tratamentos em Setembro. Em Abril, tornei pública a minha doença e hoje quero encerrar este ciclo. Não admito que ninguém brinque com o meu estado de saúde e é por isso que estou aqui."RECUPERAÇÃO

"Irei fazer exames de rotina. Para já, será a cada três meses. Depois passará para seis e mais tarde, a cada ano. O termo `curada´ só poderá ser usado cinco anos após o fim do tratamento, ou seja, a contar de Setembro. Para já, estou tratada, fora de perigo e muito feliz por estar hoje aqui a comunicar-vos isso."CORTE DO CABELO

"O Santiago (o filho de três anos) assistiu ao processo do corte de cabelo. Fiz questão que ele tivesse conhecimento in loco. Apesar dos seus tenros três anos, ele iria perceber que a mamã ia ter de usar o cabelo curto por muito tempo e que algo estranho se estava a passar. Então sugeri cortar o cabelo na presença dele. Foi uma ideia feliz tê-lo feito com ele ao meu lado. Optimizou a situação e tirou muito do peso e da carga do processo."CABELEIRA

"Adoptei agora esta nova forma de estar e este novo penteado. Não o fiz antes não para esconder o tema ou disfarçar uma calvície. Fi-lo por uma simples, mas muito forte razão: porque o meu filho pediu-me. Agora já tive o aval dele para mostrar o meu novo visual". O APOIO DO MARIDO

"O Pedro esteve sempre presente, só não entrou no bloco operatório. Tenho muita sorte por tê-lo ao meu lado. É uma pessoa excepcional, um pai presente e feliz. Por mais defeitos que lhe tentem arranjar, só há um: ele não muda muito as fraldas! De resto, tem sido o meu braço direito, o meu coração. Não fiz um único tratamento ou consulta em que ele não estivesse presente. É uma pessoa presente nos momentos bons e menos bons da minha vida. Os casamentos não se constroem nas capas de revistas, como algumas pessoas julgam. Os casamentos felizes constroem-se em casa, entre quatro paredes. Felizmente, tenho isso." ANGÚSTIA

"Num momento destes da vida, uma prova deste calibre, pensei na morte, no medo terrível de ficar por ali e de perder as pessoas que amo. Numa situação limite, podemos escolher ir para cima ou para baixo. Fiquei com a primeira opção e quis acreditar numa cura e num final feliz. Quis transmitir à minha família e aos meus filhos o sentimento de que estava tudo bem. Obriguei-me a estar bem e feliz ao regressar dos tratamentos e encontrar o meu filho a vir da escola. Tive muitos momentos difíceis. O mais angustiante foi a primeira semana, em que estive à espera do resultado do exame. Até haver um parecer clínico, foi angustiante. Pensei no pior. Tive ajuda psicológica e o que me ajudou também foi um parecer médico que me deu confiança. Quero ser vista como mais um caso de sucesso."REGRESSO AO TRABALHO

"Já fiz um trabalho para o BPI, o que quer dizer que em breve me voltarão a ver e com este novo visual espalhado pelos balcões. Irei voltar aos palcos, num projecto muito pessoal. Tinha um desejo forte, uma espécie de mania, de querer fazer uma peça sobre a Frida Khalo. Sou uma Fridamaníaca. Consegui adquirir os direitos do espectáculo `Viva la vida´ para Portugal. Felizmente, será feita por mim, encenada pelo António Feio e levada a cabo no Auditório dos Oceanos, no Casino Lisboa, a 18 de Fevereiro. Irá ser uma temporada curta, que termina a 15 de Março. Na Gala da Ficção Nacional da TVI, no final de Setembro, usei o nome da peça no final do meu discurso, simplesmente porque soube naquele dia que ia ter os direitos da peça. `Viva la Vida´ diz que não se pode perder a alegria de viver mesmo perante muitas dificuldades. Estou muito feliz por estar de volta ao meu trabalho, ao meu dia-a-dia, às minhas campanhas no BPI, às minhas novelas na TVI, aos meus palcos e, sobretudo, à minha família."MUDANÇA

"Com certeza, já não sou a mesma Fernanda Serrano. Neste momento, sinto-me mais vulnerável emocionalmente. Estou mais intolerante com as pessoas que não merecem o meu respeito e mais tolerante com aqueles que amo e admiro, e apetece-me passar mais tempo com eles. Estou na fase da ressaca. Para mim, foi mais fácil encarar toda esta situação com um sorriso nos lábios."FÉ

"Nunca pensei em desistir, apesar do medo. Pensei que era uma injustiça e não entendia porque isto me estava a acontecer. Questionei o meu Deus. Não existe resposta para isto. Naquele momento, valeu tudo: agarrei-me a todas as religiões e a todos os deuses. Tive de passar pela prova, tendo sempre presente que a cura era possível. A religião também foi parte fundamental."MAIS FILHOS

"Não existe esta impossibilidade (de voltar a engravidar). Mas nos próximos dois anos não é aconselhável fazê-lo. Adoro ser mãe, mas não é algo em que pense. No final da novela `Queridas Feras´, a minha personagem, a Mónica, teve um cancro da mama e acabou de forma feliz: ela ficou curada e acabou grávida... Neste momento, não penso em mais filhos. A seu tempo se verá. Preciso de dar toda a minha atenção aos meus dois filhos pequeninos." NOVELAS

"O José Eduardo Moniz disse-me que primeiro queria ver-me totalmente restabelecida das minhas forças para voltar ao trabalho. Creio que estará à minha espera um belíssimo projecto e papel. Não sei se farei parte da novela `La Lola`. Está tudo no segredo dos deuses, ou melhor, neste caso, no segredo do José Eduardo Moniz."VIDA SEM PLANOS

"Por vezes fazemos investimentos e planos a longo prazo. Com isto, aprendi que o importante é o aqui e o agora, o fazer o dia de hoje ser o mais feliz e estar sempre com um sorriso. Estar feliz é importante."35º ANIVERSÁRIO

"Ainda nem pensei no meu aniversário. Os meus familiares e amigos dizem-me que é importante celebrar. Também acho o mesmo, porque tenho todos os motivos para o fazer. Na verdade, não me apetece estar com muita gente. Tenho a certeza que vou passar o dia em família, em casa com os meus filhos, marido, pais e algumas pessoas próximas."NOTÍCIAS FALSAS

"Infelizmente, foi divulgado que eu estaria de volta aos tratamentos. Felizmente, é falso. Também se falou que existiria uma crise pessoal e financeira, o que também é falso. Isso desgasta-nos psicologica e emocionalmente, principalmente porque estou numa fase de reabilitação. Tudo o que preciso é de calma e serenidade e não destas supostas contra-indicações. Existem familiares e amigos que ficam preocupados com as palavras infundadas que saem na imprensa."FUTURO

"Um dia mais tarde, irei contar toda a minha história aos meus filhos. Não num livro. É comum surgirem convites para se escrever um livro depois de uma situação destas. Respeito tanto a profissão de escritor, que nunca irei empenhar-me numa tarefa dessas, simplesmente porque não sou escritora. Sou actriz."EXEMPLO

"Considero importante falar do meu estado de saúde, para que sirva de exemplo a muitos anónimos. Peço a todas mulheres para fazerem exames precoces e para que estejam em constante alerta. O que achava que era algo pouco comum tornou-se muito comum. Não sabia que uma situação destas podia ser despoletada durante a gravidez. Tenho um histórico da doença na família e sempre estive atenta ao problema. Façam o mesmo. A prevenção pode salvá-las".AGRADECIMENTO

"Tive o apoio de muita gente. Pessoas de todas as partes e de todas as áreas, que me fizeram chegar palavras de apreço e força. Quero dizer-lhes um muito obrigado e deixar-lhes um grande abraço, porque foi muito importante receber todas aquelas mensagens."PEDIDO

"Tornei isto público no final de Abril, através de um comunicado. E hoje, quero fechar este ciclo. Quero esquecer esta fase, não sei se vou conseguir, mas vou tentar. Preciso da vossa ajuda para isso, preciso que não me lembrem e nem me façam recordar com regularidade. Não me liguem no Dia Mundial de Luta contra o Cancro... Se eu quiser fazer alguma intervenção, fá-la-ei por vontade própria, sem sentir pressões. Acho que todas as pessoas que passam por uma situação destas devem querer o mesmo que eu, que é esquecer. Vendam capas felizes!"

artigo do parceiro: Top Fama

Comentários