Castelo Branco: apanhado outra vez na alfândega!

Castelo Branco: apanhado outra vez na alfândega! O rei do jet set foi obrigado a pagar 1.500 euros em impostos por compras que fez em Nova Iorque. Diz que está a ser perseguido!

O marchand José Castelo Branco meteu-se de novo em sarilhos na alfândega do aeroporto de Lisboa. Depois de, recentemente, ter tido problemas com os impostos à partida para Nova Iorque, agora voltou a ter chatices à chegada.

 

O socialite regressava das férias da Páscoa nos Estados Unidos com o filho, Guilherme, quando foi alvo de uma fiscalização à bagagem.

"Reviraram todas as minhas coisas e obrigaram-me a pagar impostos sobre compras que eu nem sequer trazia na bagagem. Muitas das coisas que apareciam nas facturas ficaram com a Betty (a mulher de Castelo Branco) em Nova Iorque", contou a SapoFama o rei do jet set.

No final, Castelo Branco teve de desembolsar cerca de 1.500 euros em impostos e multas. "É indecente. Disseram-me `pagas e não bufas, porque podes´. Nem os sapatos que trazia calçados escaparam aos olhos dos fiscais. Também paguei impostos sobre eles!"

Em 2003, José Castelo Branco passou por situação semelhante, por irregularidades com jóias que trazia dos Estados Unidos. Na altura, para além de pagar uma multa, passou a noite na esquadra. Há poucas semanas, voltou a ter problemas no aeroporto, quando lhe foi recusado o reembolso de taxas relacionadas com compras feitas por sua mulher em Portugal.

Agora, com este novo episódio, o marchand diz que está a ser perseguido. "Os funcionários que me pararam eram os mesmos de 2003. Estou a ser perseguido. Não nasci bobo e sei que o que eles queriam era sacar-me dinheiro", acusa Castelo Branco.CD em banho-maria

O lançamento de José Castelo Branco no mundo da música ainda está em banho-maria. "Não posso falar muito sobre o meu CD", disse-nos ele, deixando, entretanto, escapar que vai entrar em estúdio para as gravações na primeira quinzena de Maio.

Para não ser "abocanhado" pelas editoras, José Castelo Branco afirma ser ele próprio a suportar todos os gastos desta investida. "Tenho três propostas de editoras, mas quero ser eu o dono dos direitos e dos lucros. É uma verdadeira obra de autor", afiançou.

O marchand ainda está a ponderar se vai incluir um diamante como "brinde" no CD: "Estou a pensar bem nessa hipótese."

O trabalho deve estar pronto antes do Verão, se não for, entretanto, apreendido na alfândega...

artigo do parceiro: Top Fama

Comentários