Bárbara e Carrilho em guerra aberta

Apresentadora confirma “divórcio litigioso”. Ex-ministro exige ver os filhos.

Bárbara Guimarães, que recentemente se separou do marido, Manuel Maria Carrilho, confirmou ao fim de tarde desta sexta-feira que já avançou “com o pedido de divórcio litigioso”.

Numa aparente resposta às mais variadas notícias surgidas nos dois últimos dias, a apresentadora da SIC emitiu o seguinte comunicado de Imprensa:

“Confirmo que avancei com o pedido de divórcio litigioso. O meu silêncio em público prende-se única e exclusivamente com a vontade que mantenho de proteger os meus filhos e, nesse sentido, não vou alimentar qualquer polémica ou responder a qualquer mentira que possa vir a público. Peço que respeitem e salvaguardem, neste momento difícil, a privacidade da minha vida e a dos meus filhos.”

Esta confirmação oficial da rutura entre Bárbara, de 40 anos, e Carrilho, de 62, surge horas depois de alguma Imprensa ter noticiado que a apresentadora terá sido agredida pelo ex-ministro da Cultura.

Segundo refere o “Correio da Manhã” de hoje, Bárbara Guimarães apresentou uma queixa-crime por “violência doméstica” contra o (ainda) marido, no passado dia 19 de outubro.

Sabe-se, ainda, que a apresentadora anda guardada por “seguranças” e que não permite a entrada de Manuel Maria Carrilho na casa em que o casal vivia com os seus dois filhos, Dinis Maria, de 9 anos, e Carlota, de 3. 

Tal facto motivou uma queixa do ex-ministro contra Bárbara Guimarães no Departamento de Investigação Penal, segundo o próprio revelou ao “Diário de Notícias”:

"Se há queixa, é minha contra a Bárbara que foi apresentada no DIAP [Departamento Investigação Acção Penal], após o momento em que, para minha surpresa, me vi impedido de entrar em minha casa e ver os meus filhos", afirmou Manuel Maria Carrilho. 

"Se há alguma queixa da Bárbara foi feita posteriormente à minha", acrescentou o ex-ministro da Cultura, que se prepara para uma dura batalha judicial com a apresentadora.

Comentários