Ricardo Castro perdeu 30 quilos: "Parece que estou na puberdade"

Ricardo Castro, um dos atores mais reconhecidos em Portugal, dá agora que falar por outros motivos. Está muito mais magro, com saúde e recomenda-se! O segredo do sucesso? Muito esforço, dedicação e sacrifício.

Quatro vezes por semana o dia de Ricardo Castro começa bem cedo. Com treinos marcados logo para as 07h00 da manhã, o atormantém uma rotina intensa sempre em prol de um objetivo: mudar de vida.Numa entrevista ao Fama ao Minuto, o artista confessou que emagreceu mais de 30 quilos, conjugando o exercício com uma dieta adequada.

Quando é que decidiu fazer esta mudança de vida?

Tinha 40 quilos a mais do que devia ter e, entretanto, houve uma altura em que fui ao médico de família e uma das coisas que ele me disse foi que tinha muitapena que um ‘tipo’ cheio de saúde como eu fosse tão gordo. Há momentos na vida em que dizem coisas que parecem que fazem sentido. Apesar disto já me ter sido dito várias vezes, fez mais sentido naquele momento.

Como é que cresceu sabendo que estava sempre acima do peso?

Sempre fui um gordo muito feliz e com muitas namoradas. Nunca me sentia discriminado porque era um gordinho popular. Uma mulher que só olhar para ti porque és gordo ou és magro também não há-de ser grande coisa.

Como é que encarou este desafio?

Sabia que iria naturalmente perder peso se mudasse a alimentação. Sempre fui um gordinho de comer bem. Nunca fui daqueles gordinhos, como a maior parte diz, ‘ah, isto são retenção de líquidos’. Não, eu comia muito. Gosto ainda de comer bem. Mas entretanto decidi mudar.

E qual foi a pior parte?

O ginásio. Normalmente as pessoas vão ao ginásio a primeira semana e depois não metem lá mais os pés. É terrível porque dói e não vemos resultados logo ao início.

Há quanto tempo é que tomou esta decisão?

Há 10 meses.

Quanto é que pesava no início?

113 quilos…

E agora?

80. Mas não fiz dietas rápidas, nem tomei nada.

Quais as principais mudanças que sentiu?

O meu corpo parece agora o de um miúdo de 15 anos. Parece que estou na puberdade. Já não tenho roupa, pareço um maltrapilho [risos]. Quando era mais gordo gastava imenso dinheiro em roupa porque não havia assim tantas coisas em marcas mais baratas. Quando perdi peso e fiquei ‘fora de perigo’ e dentro das medidas de um homem da minha idade fiquei a pensar como é bom comprar roupa que não comprava. Sinto-me uma pessoa nova. Sinto que a minha alma saiu do meu corpo e foi para outro.

E qual é o seu grande objetivo neste momento?

De peso estou bem. Quero é ficar definido e perder mais um bocado de massa gorda. Quero continuar até parecer um modelo de revista internacional [risos]. Estou tão focado nisto, como nas personagens que faço.

Como é que as pessoas à sua volta reagiram à mudança?

Normalmente quando as pessoas veem alguém gordo que começa a emagrecer pensam logo que está doente. Quando estás a perder peso de facto ficas com as peles mais descaídas, porque a elasticidade não acompanha a perda de peso. E mesmo que digas que estás no ginásio, não acreditam. Mas agora sim. Há 10 meses que perco peso, mas não é só isso, é também ganhar saúde e sentir-me melhor. Nunca pensei que iria receber centenas e centenas de mensagens a perguntarem-me o que é que tinha feito.

A sua dieta inclui restrições alimentares?

Não como carne vermelha há não sei quanto tempo. Eu que adorava comer chouriços, já não como. E [também] pão. Quando tinha fome era isso que comia. Mas custa muito. E mentia se não dissesse que não pensei muitas vezes em desistir. Mas agora já não faz tanto sentido na minha vida. Culturalmente sempre fui habituado a comer com três acompanhamentos, batatas, arroz e um bife e se for possível ainda com um ovo a cavalo nos dias em que estás mais triste. Em minha casa mudou tudo. Tu olhas para a minha despensa, não tens nada de mau.

Porque é que hoje em dia é tão difícil emagrecer?

Penso que existe muita gente que arranja desculpas. Eu até quero emagrecer, mas tenhode ir almoçar. As pessoas é que não têm vontade. Não é preciso ter dinheiro para emagrecer. Conheço famílias que são três pessoas em casa e compram 20 pães por dia e eu já fui dessas famílias.

E no seu círculo profissional, quais foram as principais reações?

Trabalho não me falta. Não vou viver de estigmas de: ‘Ah, quando eras gordo tinhas mais trabalho. Ou tinhas mais graça’. Ou ‘tu vê lá, porque as pessoas estão habituadas a uma imagem e depois de repente os papéis dos mais gordinhos...’. Mas o que eu tenho a dizer é que o talento e o trabalho não emagrecem. É uma questão de querer estar bem. Não há atores que engordam para fazer papéis?

O que é que aconselha às pessoas que querem mudar de vida como o Ricardo?

A tomar a decisão em consciência e a fazer um pacto com elas próprias e depois delinear uma estratégia. Toda a gente sabe que é preciso exercício e uma dieta. Podem ir ao nutricionista do centro de saúde e depois organizar os alimentos. As pessoas têm de agarrar a própria vida!

artigo do parceiro: NM

Comentários