Exposição comemora 50 anos das Aldeias de Crianças SOS

De entrada gratuita e patente em Lisboa até 7 de novembro. Depois segue caminho para outra cidade

A exposição Intrarte patente no Edifício Central da Câmara Municipal de Lisboa visa celebrar os 50 anos das Aldeias de Crianças SOS. A iniciativa conta com a colaboração de professores e alunos da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa que, através da arte figurativa, procuram divulgar e valorizar, o trabalho desenvolvido pela Associação.

As obras expostas na INTRARTE estão a ser leiloadas online e os fundos angariados reverterão para a Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal, para ajudar a vida de muitas crianças, dando-lhes um lar onde são protegidas e amadas.

As Aldeias de Crianças SOS foram fundadas, em 1949 por Hermann Gmeiner, no rescaldo da II Guerra Mundial, devido à profunda necessidade de dar aos órfãos da guerra e às crianças abandonadas a proteção de um lar e de uma família.

Mais de 500 Aldeias de Crianças SOS em todo o mundo oferecem um lar a 60.000 crianças. A Associação das Aldeias de Crianças SOS Portugal foi fundada em 1964 e é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), reconhecida como pessoa coletiva de Utilidade Pública. A primeira Aldeia de Crianças SOS de Portugal foi inaugurada em 1967, em Bicesse.

Atualmente existem três Aldeias SOS em Portugal, situadas em Bicesse (Cascais), Gulpilhares (V.N.Gaia) e na Guarda, acolhendo cerca de 125 crianças e jovens. Para os jovens criados nas aldeias que frequentam cursos de formação profissional ou estudos universitários, foram criados os Apartamentos de Autonomia SOS, em Rio Maior e Alcântara. Através da sua Loja Solidária ajudam mais de 80 crianças em situações de carência económica.

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários