Análise numerológica de setembro de 2017

O ano 2017 pede renovação de energia, novos começos, abandono do velho, do estagnado, transmutação de energias pesadas e tóxicas quer dentro, quer fora de nós.

Setembro representa acima de tudo, o momento em que o regente numerológico deste ano se ancora verdadeiramente, já que tanto este mês quanto o ano são ambos regidos pelo Número 1 - o Senhor das Iniciativas, das Renovações e das Mudanças que requerem uma acção concertada.

A sinergia provocada por este trânsito numerológico desperta poderes que se podem agigantar subitamente, ficando fora de controlo. O 1 possui características bélicas, de força e supremacia. Não esquecer que o Princípio atribuído a este número-símbolo é o Masculino ou Activo e daí o seu carácter de conquista, que irrompe bruscamente, sem aviso, para conseguir o que quer. Não esquecer também que este Número cuja natureza interna se revela através do Fogo (elemento primordial) possui uma expressão externa regida pelo elemento Ar, o que nos indica o carácter explosivo e impossível de dominar deste Princípio.

Por outras palavras estamos perante a acção duplicada do Número 1. Portanto assistiremos facilmente a lutas de galos, a tentativas de dominação, a possíveis guerras dentro e fora de casa, em escalas maiores ou menores.

O ano 2017 pede renovação de energia, novos começos, abandono do velho, do estagnado, transmutação de energias pesadas e tóxicas quer dentro, quer fora de nós.

O ano como todos sabem é regido pelo Número 10, Número divino que anuncia um retorno à Unidade. Nada pode regressar à Unidade se estiver pesado e tóxico, mas também nada regressará na mesma condição em que saiu, por via da própria pressão resultante de diversas Leis Universais, que conjugadas, conduzem a uma inevitável mudança de paradigma.

Por outro lado, setembro encontra-se sob as influências do número-símbolo 19, que neste momento se desloca numa oitava acima, em espirais imensamente aceleradas ao longo das já intensificadas energias de 10, exigindo mais do número do ano, elevando-o, fazendo subir esta energia de renovação às mais altas e ressonantes frequências.

Momentos houve, no passado, em que pudemos deixar-nos andar ao sabor da maré, porém esse tempo chegou ao seu fim. Na presente condição temos de escolher já, cada um por si, em que vibração pretendemos ressoar.

Quem ficar dependente dos outros para fazer escolhas ou quem vive na ilusão de que algo ou alguém nos virá salvar e tirar dos tormentos, pode, desde já, deixar cair o véu que o separa da realidade.

O que procura?

Comentários