Fecha os olhos e ama-te!

O que faz afinal uma pessoa perder a noção de quem é e da sua valorização?

Muitos são os sinais que revelam falta de amor próprio.

Timidez, medo, pensamentos ilusórios, falsos e negativos, falta de assertividade e coragem, crença de desvalorização, incapacidade de ser, fazer, sentir ou conseguir, excesso de influência dos outros, agressividade, frieza e arrogância, sentimento de inferioridade e muitas outras atitudes que revelam como o ser humano vive desconectado da sua fonte de amor próprio, luz e valorização pessoal.

A falta de amor próprio não se deve propriamente aos pais que atraímos, à falta de amor que recebemos na infância, às brigas com os irmãos, àquela professora ou colega da escola que insistia em embirrar connosco, à falta de dinheiro ou reconhecimento ou ao marido ou mulher que não demonstra amor como gostaríamos.

A falta de amor próprio deve-se à nossa incapacidade de sentir e resgatar o amor dentro de nós próprios, POR nós próprios. Deve-se à baixa ou mesmo ausente noção do nosso valor e dos potenciais únicos que só nós carregamos. Deve-se a uma auto-imagem distorcida que apenas vê o nosso pior e que não se acredita merecedor de algo melhor.

Enquanto não activarmos esta fonte de amor interna, uma deprimente ladainha canta no fundo da nossa mente;
“eu não sou capaz, eu nunca consigo, eu não mereço, eu não posso, eu não....., é difícil, é impossível, eu não, eu nunca...”

Os outros, o exterior, os eventos e comentários que atraímos e de que somos alvo, são apenas hologramas externos dessa energia interna, macro cenários desse nosso micro dilema, agulhas de acupunctura que vêm activar o trabalho interno que ainda não fizemos.

Em Astrologia este tema da valorização pessoal e do amor próprio é representado pelo Planeta Vénus e pela energia de Touro que simboliza os nossos valores tanto interiores como, por correspondência, exteriores.

Dependendo da posição dos Planetas e aspectos que eles fazem uns aos outros, eles irão facilitar ou complicar a nossa relação com o nosso valor, seja a exagerá-lo, a distorcê-lo ou a diminuí-lo.

Por exemplo, uma pessoa com fraca auto-imagem, baixo amor próprio e pobre sensação de valor pessoal, pode estar rodeada de familiares e amigos que a enchem de afecto, incentivo e entusiasmo pela pessoa maravilhosa que ela é.
Mas dentro dela, ela não só não o sente como suspeita da veracidade das pessoas que lhe fazem chegar esses comentários. Como se costuma dizer, entram por um ouvido e saem pelo outro... e porquê?

O que procura?

Comentários