Sem dragões não há heróis!

Sair do quadradinho requer um tal esforço, exige tais actos de coragem e corremos tantos riscos que preferimos com o tempo passar a acreditar que é possível dentro dele.

Auto estima, amor próprio, valorização interior, força espiritual, equilíbrio, tranquilidade interior, paz de espírito, amor incondicional... conceitos maravilhosos, palavras mágicas, experiências ansiadas que parecem despertar dentro de nós uma qualquer energia adormecida a quem tais palavras fazem vibrar, mas que está tomada por um ego turbulento que nos dificulta ouvir e seguir a verdade de quem somos...

De facto o seu único propósito é manter-nos nos seus limites, na sua zona de segurança, no seu quadradinho protegido sabe Deus de quem, protegendo sabe Deus o quê…

Não deverá existir um único ser humano que não reaja positivamente a qualquer um destes conceitos. E sem condicionantes, estaríamos todos sem dúvida algures numa cruzada em busca do que mais precisamos.

...mas sair ou não sair do quadradinho.. essa é a questão...

Sair do quadradinho requer um tal esforço, exige tais actos de coragem e corremos tantos riscos que preferimos com o tempo passar a acreditar que é possível dentro dele.

Vendemo-nos barato... fomos cobardes ... e como diz a maravilhosa Maria Flávia de Monsaraz, "O Universo não perdoa cobardias".

Esse acto de cobardia será o íman que irá fazer atrair as mais variadas perdas.

Não serão perdas como castigos de um Deus mau e punidor.

Deverão ser vistas e sentidas sim como a única maneira que o Universo encontrou de nos fazer escolher algo melhor.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários