Com que óculos vês a vida?

Vivemos num Universo que embora por vezes nos pareça caótico é, se analisado sob a perspetiva certa, um lugar mágico, inteligente, amoroso e regido por Leis Cósmicas. No nosso tempo de evolução, essas Leis ainda não nos chegam facilmente. Mas até esse timing, curiosamente, faz parte de uma ordem superior

Espiritualidade é simplesmente afinar as lentes com que vemos o mundo e ajustá-las a essas Leis.

Lá chegará o dia em que mais do que instruir o nosso ego a sobreviver num mundo competitivo, materialista e egoico, as escolas irão servir para nos preparar para questões práticas de sobrevivência e interação humana, com a Natureza e com os animais, assim como nos apoiar na viagem paralela de evolução espiritual que todos estamos a viver.

Quer seja a olhar para os astros, quer estejamos no meio da Natureza, no fundo do mar ou dentro de qualquer ser humano, não encontramos estagnação. Uma energia invisível mantém todo o Universo em permanente movimento e que é óbvia e visível no crescimento e desenvolvimento de um bebé na barriga da mãe ou no crescimento de uma planta vinda da terra, no movimento matemáticamente previsível dos Planetas ou simplesmente na beleza e equilíbrio natural que encontramos por exemplo num Oceano.

Quanto mais abertos e conscientes estivermos dessas Leis, mais nos apercebemos que esse movimento permanente tem um propósito nobre;

-      remover o que quer que nos impeça de expressar Amor.

Seja connosco próprios, na nossa vida, com os outros, com os animais, com a Natureza, seja dentro de nós ou nas relações com os outros,  enfim, o propósito é a expressão do Amor.

Mais cedo ou mais tarde, desde que devidamente alinhados com essas Leis Universais, começamos a perceber que por trás de todos os eventos e encontros, existe uma linha invisível que vai juntando pontos que, se vistos de longe, nos mostrariam uma lógica ou uma mensagem escondida.

Com as devidas lentes alinhadas com essa Fonte de Amor percebemos facilmente  como todos juntos nos revelam padrões que qualquer um de nós reconhece na sua vida e que estão também estampados no nosso mapa Astrológico. Veríamos como cada um desses eventos nos levou mais perto da nossa essência, do nosso Amor próprio e da nossa capacidade de amar e sermos livres.

-Mas se o nosso propósito é apenas o de expressar Amor, então o que afinal nos impede?

- O medo!

- Então mas porque é que existe o medo?

- Porque viemos experienciar a dualidade.

E o medo é o oposto do Amor.

O que procura?

Comentários