Sinta-se bem com a sua vagina

Tal como com o resto do corpo, as partes íntimas também merecem atenção e merecem ser aceites por si e pela geração advinda.

Ainda há muitos tabus relativamente ao sexo e falar sobre pénis ou vaginas é algo que facilmente entra na equação. Aliado a isto, há mulheres que não se sentem confortáveis ou têm complexos pela fisionomia da sua vagina e nem sequer tocam no assunto. A vagina é tal e qual outra parte do corpo logo, se acha que há razões para não gostar da mesma, é muito fácil a autoestima ser afetada, o ato sexual não correr da melhor maneira e sentir um pouco de vergonha. Tente minimizar a questão, aceitar-se como é e passar o mesmo aos seus filhos.

Cheiro
Ter cheiro é normal e cada mulher tem o seu. Não exagere na higiene porque só irá danificar a sua flora.

Masturbação
Não há nada pior que uma mulher que cresça e não conheça o seu próprio corpo, os seus desejos, os seus pontos de excitação, até porque numa relação sexual a probabilidade de não conseguir satisfazer-se é grande. Não conseguirá dar o feedback ao parceiro e irá depositar neste toda a responsabilidade sexual. Não obstante, faça questão de mencionar isto aos seus filhos, fazendo ver que é algo privado, mas que devem estar à vontade para explorar o próprio corpo.

Entrega e confiança
Se o seu parceiro a escolheu não foi com base na sua vagina, certo?! Quanto muito sentem-se mais atraídos pela confiança que você transmite e pela entrega na relação sexual, ou seja, alguém que sabe o que gosta e o que quer.

Pornografia não é vida real
Use-a como forma de se excitar ou como forma de preliminar com o parceiro, mas nunca como meio de aprendizagem. Isto é, pénis grandes não são sinónimo de orgasmos, nem peitos enormes são o sonho de qualquer homem, nem os gemidos têm de ser assim. Cada um é como cada qual e reage de diferentes formas e por isso é tão importante a masturbação, para se conhecer intimamente e saber como reage a cada estímulo. É fundamental que este pensamento seja transmitido a quem tem filhos adolescentes, uma vez que estes têm algumas das vezes, opinião que aquilo que vêm nos filmes é o que se passa na realidade. Isto pode defraudar expetativas, bem como torná-los menos confiantes.

Estimular a autoestima
Os seus filhos quando crescerem vão agradecer! Enaltecer e fazer ver que não há nada de errado com as partes íntimas é meio caminho andado para educar alguém a sentir-se bem com o seu próprio corpo. O seu filho e você são únicos, diferentes e fantásticos na maneira de ser! Contornem as dificuldades e potencializem as qualidades.

artigo do parceiro:

Comentários