Nunca trabalhou como fotógrafo mas tem uma paixão enorme pela fotografia. Iniciou o projeto a 16 de outubro de 2009 e desde esse dia que tira, pelo menos, uma todos os dias. Publica-as, depois, no seu blogue e nos perfis que criou nas redes sociais Instagram e Twitter. Mas só o faz quando tem tempo. "Normalmente, partilho-as seis ou sete dias depois", revela Woody Campbell. Nessas alturas, aproveita para atualizar a contagem e apresentar várias de seguida.

Nalguns casos, as imagens têm anos ou até décadas. O desafio a que se propôs conta já com mais de 3.800 imagens e o norte-americano, nascido em Salt Lake City, no Utah, garante que continuará a cumpri-lo até ao fim dos seus dias. Mas a paixão por esta arte não é de agora. Foi aos 11 anos que Woody Campbell teve a sua primeira máquina fotográfica, uma Kodak Brownie. Pouco depois, com a ajuda de um amigo, conseguiu montar uma câmara escura.

Tinha 16 anos quando fotografou Bob Dylan e nunca mais parou
Tinha 16 anos quando fotografou Bob Dylan e nunca mais parou
Ver artigo

Instalou-a na cave e era lá que revelava e imprimia. As técnicas que tinha de usar fascinavam-no. Autodidata, aprenderia anos mais tarde, também sozinho, a trabalhar com softwares como o Adobe Photoshop e o WordPress. No momento de prosseguir os estudos universitários, ingressou na prestigiada Universidade de Yale, onde se licenciou em economia. A fotografia foi, então, relegada para segundo plano. Woody Campbell teve o seu primeiro emprego como analista no Banco de Nova Iorque da Reserva Federal, que largou para ingressar no Corpo de Fuzileiros Navais, a experiência mais importante da sua vida, como admite no seu site pessoal.

Foi nessa altura que retomou a paixão primeira. Destacado para a guerra do Vietname, foi baleado e repatriado. Depois de recuperado, adquiriu a sua primeira máquina fotográfica a sério, "uma Rolleiflex 2.8F com lente Carl Zeiss", explica, orgulhoso. De seguida, montou uma câmara escura portátil num armário e passou a fotografar paisagens rústicas, ambientes urbanos, pessoas e pormenores, como os que pode ver na galeria de imagens que se segue.

Antes de regressar à universidade, desta vez para estudar direito na Columbia Law School, fez uma viagem de seis meses, um périplo por vários países da Europa. Foi aqui que tomou contacto com a Leica M3, a máquina fotográfica que ainda hoje o acompanha na nova era digital. O novo curso superior abriu-lhe portas para o mercado jurídico mas não lhe deixou, no entanto, muito tempo livre para se dedicar àquela que é, na realidade, a sua verdadeira paixão.

Depois de desempenhar funções em várias organizações, Woody Campbell foi contratado pela empresa Debevoise & Plimpton, em Nova Iorque, onde se tornou uma lenda no setor da gestão de fundos de investimento. A Private Equity International chegou mesmo a considerá-lo um dos 30 advogados mais influentes no ramo. Mais tarde, converteu um celeiro no Connecticut em estúdio fotográfico e, há 11 anos, com 65, já reformado, decidiu criar o seu blogue.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.