Não é medicamento, mas cada vez mais estudos o definem como uma pílula milagrosa.

Senão
veja. Melhora o sistema cardiovascular, ajuda a regular o peso e tensão arterial, fomenta a recuperação
do cancro, combate o stress e até previne a depressão.


Tudo isto, associado à sensação
de bem-estar que proporciona, torna a prática de actividade física vital. Ainda precisa de mais
razões para pegar nos ténis? Bem nos parecia. Por isso, vamos ao que interessa. Os passos que a
levarão da entrada do ginásio ao pódio! Mas se preferir praticar exercício onde e quando bem
entender, também não há problema. Eis algumas estratégias para que, no ginásio, em casa ou na rua,
não fique apenas pela intenção.

Primeira aula

Seja qual for a motivação
saiba que, «após o Verão e devido à paragem
provocada pelas férias, o regresso à
actividade física deve ocorrer de forma gradual», explica Duarte Galvão, fisioterapeuta e
personal trainer no Holmes Place.

Em vez de iniciar
uma maratona de esforço ou seguir à risca o
plano intensivo anterior, deve procurar actividades
de acordo com a sua actual condição física
e não aquela em que se encontrava antes das
férias do último Verão.

Na primeira visita ao ginásio, recomenda-se a realização de um check-up que, como
explica o fisioterapeuta, «contempla a avaliação
do nível de capacidade cardio-respiratória,
força muscular, flexibilidade, índice de massa
corporal, percentagem de massa gorda, nível de
stress e rastreio de factores de risco que possam
existir», diz.

«É importante pois permite elaborar um
programa de exercício personalizado», acrescenta ainda.

No ginásio

A variedade de modalidades
desportivas que cada espaço propõe torna a
escolha difícil. As aulas de grupo têm uma vertente
mais lúdica, que fomenta a interacção e
até a motivação.

Por outro lado, as máquinas
de cardiofitness «são muito úteis pois, graças à
monitorização dos factores (frequência cardíaca,
velocidade, distância percorrida, calorias
gastas), permitem um treino cardiovascular
específico», explica o fisioterapeuta, realçando
ainda que são «também indicadas para pessoas
cujos factores de risco não permitam a frequência
de aulas de grupo».

Para além do objectivo,
também a personalidade é determinante. E não
se preocupe pois há aulas para todos os gostos,
como exemplifica Duarte Galvão.

«Uma pessoa
calma pode aliviar o stress através do yoga.
Se for mais activa, pode fazê-lo numa aula de
body combat».

Em relação ao horário para a prática de exercício,
é importante encontrar uma altura que
garanta uma rotina de treino. «Isto de maneira
a conciliar o exercício físico, com a vida cada
vez mais ocupada que as pessoas têm», realça
o fisioterapeuta.

«Pode fazer
logo de manhã antes de ir para o trabalho ou
após o mesmo, evitando assim a tentação de
ficar no sofá ou na cama de manhã», sugere.


Veja na página seguinte: O treino mínimo recomendado

Por conta própria

Não ter tempo para
ir ao ginásio há muito que deixou de ser desculpa. Não importa o lugar, o que interessa
é que se mantenha activa com regularidade.

«O mínimo aconselhado para um trabalho
cardiovascular são 15 a 50 minutos de treino
contínuo ou interrompido. Exercícios
como a marcha e a caminhada são indicados
para a manutenção de um bom estado de
saúde. Também pode introduzir estratégias
para não perder a forma, como exercícios
de força e alongamentos ao acordar», aconselha
Duarte Galvão.

Escolha a actividade
que mais gosta (andar de bicicleta, caminhar,
passear o cão) e entre em acção.

Em
casa, antes ou depois do trabalho, transforme
a sala num mini-ginásio com um aparelho
de step ou bicicleta estacionária e para
marcar o ritmo ponha um bom CD ou veja
um episódio da sua série favorita enquanto
pedala ou siga à risca uma aula em DVD.
Vale tudo, desde que se divirta, mantenha a
motivação e assiduidade.


Soluções caso a caso

OBJECTIVO: PERDER PESO

Pretende fazer exercício físico sobretudo para perder peso?

Estratégia:

«Combinar treino cardiovascular,
de força e flexibilidade
(intensidade baixa a moderada) todos
os dias, cerca de uma hora por sessão.
Acompanhamento nutricional e um
calendário, sob a forma de poster,
para organizar as sessões e o plano
nutricional.»

Modalidade aconselhada:
Ginásio, exercício cardiovascular,
aulas de grupo como RPM,
body attack.

Frequência recomendada:
Trabalho diário, com
aulas de grupo, uma ou duas vezes por
semana.


OBJECTIVO: COMBATER O STRESS

Pretende fazer exercício físico sobretudo para combater o stress?

Estratégia:

«Aulas animadas, com
ritmo, para a segregação de endorfinas
(hormonas responsáveis pela sensação
de
bem-estar e prazer físico) ou, se
preferir, modalidades que fomentem a
meditação e serenidade.»

Modalidade aconselhada:
Body combat, body
attack, yoga, body balance e pilates.

Frequência recomendada:
Uma a duas vezes por
semana.


Veja na página seguinte: Como modelar a silhueta

Pretende fazer exercício físico sobretudo para modelar a silhueta?

OBJECTIVO: MODELAR A SILHUETA

Estratégia:

«Sessões de treino com
base na resistência muscular, para
queimar gorduras localizadas e definir
o músculo», recomenda Duarte Galvão.

«O treino cardiovascular deve
ocupar apenas 20 por cento da sessão,
deixando 60 por cento para a parte
muscular e os restantes 20 para flexibilidade
e alongamentos», refere ainda.

Modalidade aconselhada:
Ginástica localizada,
body pump e trabalho de ginásio.

Frequência recomendada:
3 vezes por semana (no
mínimo).


Texto: Manuela Vasconcelos com Duarte Galvão (fisioterapeuta e personal trainer)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.