1. Seja positivo

Um estudo que analisou pessoas entre os 95 e os 107 anos descobriu que a sua maioria tinha uma atitude positiva perante a vida e um forte sentido de humor, sugerindo que tais características tenham desempenhado um papel importante na sua longevidade. Uma opinião partilhada por Lynn Adler, autora do livro "Celebre os 100: Segredos centenários para ser bem sucedido na vida pessoal e profissional".

Tenha o corpo perfeito até ao verão com este plano de treino
Tenha o corpo perfeito até ao verão com este plano de treino
Ver artigo

2. Goste do que faz e tenha uma rotina no trabalho

Adote hábitos de vida. Isso vai ajudá-lo a gerir o stress diário. Mas mais importante: faça o que gosta. Procure um trabalho que lhe assente à medida. Viver feliz e satisfeito aumenta a esperança média de vida, como provou um estudo que envolveu quase quatro milhares de pessoas da autoria de Andrew Steptoe, professor de psicologia na Universidade College London.

3. Socialize e saia de casa

Um estudo de 2010 descobriu que as pessoas com uma vida social ativa e cheias de conexões sociais tinham 50% mais hipóteses de viver mais tempo do que os que tinham poucas relações sociais.

4. Durma

Descansar menos de sete horas por dia de forma regular aumenta o risco de diabetes, pressão arterial alta, doença coronária, ataque cardíaco, depressão, obesidade e morte prematura, segundo a Academia Americana da Medicina do Sono. Se quer viver uma vida longa e saudável, o truque é básico: deite-se mais cedo e durma sete a oito horas.

Nem pense em guardar estes 10 alimentos no frigorífico
Nem pense em guardar estes 10 alimentos no frigorífico
Ver artigo

5. Exercite a mente

Não há nada melhor do que manter o cérebro ativo para afastar os efeitos negativos do avançar da idade, defende o Instituto norte-americano do Envelhecimento. Mantenha o espírito curioso, investigue, leia, pinte, escreva, faça puzzles, faça jardinagem, tenha uma vida social ativa. Quantos estudos são necessários para lhe dizer que exercitar o cérebro potencia a saúde? Pois bem, a Universidade de Toronto compilou 25 investigações em 2013 que comprovam cientificamente isso mesmo.

6. Não abuse dos medicamentos

É importante que os tome se foram prescritos por um médico e é fulcral que cumpra os tratamentos propostos pelos especialistas. Mas tomar um sedativo cada vez que tem uma dor de cabeça ou correr para o médico sempre que espirra pode levá-lo a entrar em tratamentos desnecessários, aumentará os efeitos secundários e terá outros problemas associados. Evite entrar em pânico e olhe para si de fora para dentro. Lembre-se que nos hospitais também se apanham doenças e infeções.

7. Descontraia

O stress crónico pode diminuir o potencial do seu sistema imunitário e contribuir para o aparecimento de problemas de saúde, como doenças coronárias e pressão arterial alta, defende a Federação Mundial do Coração. Pode controlar a ansiedade através da respiração (inspire e expire profundamente) leitura, escrita, convívio, desporto ou ainda recorrendo a ajuda médica especializada.

8. Mexa-se

Comecemos pelos dados científicos: as pessoas fisicamente ativas pelo menos sete horas por semana têm 40% menor risco de morrer prematuramente do que os que se exercitam menos de 30 minutos por semana, de acordo com uma investigação do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Estados Unidos. Os habitantes de Okinawa são conhecidos pela sua vida abundante em exercícios físicos, seja pela jardinagem, dança ou artes marciais como o tai chi.

15 alimentos que libertam o organismo de toxinas
15 alimentos que libertam o organismo de toxinas
Ver artigo

9. Coma mais vegetais e fruta

Os centenários de Okinawa, a província japonesa com a maior esperança média de vida do mundo, têm uma dieta pobre em calorias e rica em vegetais. Tradicionalmente, nesta região do mundo, as pessoas param de comer quando se sentem 80% saciadas, um hábito conhecido como "hara hachi bu" que dá tempo para o estômago informar o cérebro de que afinal já está cheio.

10. Controle o peso

Ter excesso de peso diminui a esperança média de vida e aumenta o risco de doença, ataque cardíaco, diabetes, problemas do sono e alguns tipos de cancro, informa o Instituto de Saúde Norte-americano com base em vários estudos científicos. Controlo o peso excessivo e tente manter um índice de massa corporal entre os 18 e os 22.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.