Seguindo uma determinada série de manipulações muito simples e muito precisas, o terapeuta de Bowen efectua movimentos muito suaves, sobre locais específicos - músculos, tendões, fascia ou ligamentos - que levam ao reequilíbrio do organismo e, consequentemente, ao processo de auto-cura.

O terapeuta consegue discernir stress acumulado nos músculos e tendões, permitindo dessa forma executar movimentos Bowen específicos que conduzem à recuperação. É uma técnica indolor e não invasiva.

Os resultados são notáveis logo após a primeira sessão. Muitas vezes são necessárias apenas algumas sessões para aliviar o problema apresentado. Esta é uma das razões por que a técnica de Bowen é tão popular.

A técnica de Bowen programa o corpo para se tratar a si próprio. O nosso organismo tem essa natural capacidade e o Bowen potencia exactamente essa função, a de estimular o organismo a dar prioridade aos pontos em questão.

É útil para todas as idades, desde recém-nascidos, grávidas, crianças, jovens, adultos e idosos. É também uma técnica eficaz em casos de lesões desportivas, uma vez que acelera o tempo de recuperação, independentemente se foi uma lesão recente ou não.

No entanto, muitas pessoas que gozam de boa saúde fazem tratamentos de manutenção para manter um óptimo equilíbrio do seu organismo. A técnica de Bowen provoca um impacto positivo na saúde, promovendo maior energia e uma sensação fantástica de bem-estar.

Saiba mais na próxima página

Problemas em que a Terapia de Bowen pode ajudar

- Acelera o tempo de restabelecimento logo após uma doença, cirurgia ou lesão, independentemente desta ter acontecido recentemente ou não

- Alivia a dor em todo o corpo

- Através da transpiração e sudação controla a temperatura

- Ciática

- Crianças, enurese nocturna (xixi na cama)

- Depressões, ansiedade, stress

- Desconforto na gravidez (o peso adicional e o stress provocado pela própria gravidez podem causar mudanças posturais e consequentemente dores no corpo)

- Dor no cóccix provocada por uma queda ou mesmo pelo parto

- Dores de cabeça originadas pelo stress e tensões, por má postura ou de origem digestiva

- Dores menstruais: ciclo irregular, sindroma pré-menstrual

- Dores musculo-esqueléticas de forma aguda ou crónica, pós-traumáticas ou pos-cirúrgicas, ou de origem articular (perda de mobilidade ou espasmos musculares)

- Dores ou tensão nos maxilares

- Elimina as toxinas através dos rins e da urina

- Hérnias discais

- Hidratar o organismo

- Irregularidades hormonais, menopausa, tiróide

- Lesões desportivas (joelho, tornozelo, cotovelo, pulso, distensões musculares, luxações, entorces, etc.)

- Lubrifica as articulações

- Má circulação

Saiba mais na próxima página

- Mantém o equilíbrio do nosso corpo

- Melhora a circulação, movimento articular, postura, drenagem linfática, assimilação de nutrientes, eliminação de toxinas

- Na Terapia de Bowen não se realizam manipulações forçosas. No entanto, maioria dos terapeutas, e mesmo alguns doentes, notam algum movimento vertebral durante os tratamentos. Este facto deve-se ao realinhamento do próprio corpo, sintoma de que o tratamento está a fazer efeito

- Perder e manter peso, já que ajuda a dissolver as gorduras ingeridas e favorece o bom funcionamento dos intestinos

- Problemas da bacia: dores na bacia, tensão em certos músculos da região pélvica e sacro)

- Problemas de costas: dores nos ombros e membros superiores, entumecimento dos braços, das mãos, restrição da mobilidade dos membros superiores, lesões ocasionadas por movimentos repetitivos

- Problemas de fígado

- Problemas de infertilidade

- Problemas de ouvidos

- Problemas de pescoço: torcicolos, consequências de um acidente ou má postura, restrição de mobilidade do pescoço (é de mencionar que não se realiza nenhuma mobilização do tipo quiroprático, e que em nenhum caso se move a cabeça do cliente)

- Problemas digestivos: prisão de ventre, diarreias, inflamação abdominal

- Problemas do sistema urinário: retenção de líquidos, incontinência, infecções urinárias

- Problemas relacionados com os pés: dedos de martelo, joanetes, etc

- Problemas respiratórios: asma, alergias, bronquites

- Recém-nascidos: cólicas, problemas em dormir ou problemas de alimentação

- Restabelecimento do sindroma de cansaço crónico e de fibro-mialgia

- Sensação de mal-estar geral

Saiba mais na próxima página

A fascia
Para olhares mais desatentos, a Terapia de Bowen parece ser apenas um conjunto de movimentos na pele (ou sobre roupa leve) em pontos muito específicos do corpo, provocando um estado de relaxamento profundo. Mas são estes pequenos movimentos que conseguem dar ao corpo as instruções necessárias para iniciar um processo de auto-cura.

Estudos recentes demonstraram que os níveis profundos de relaxamento podem ter efeitos benéficos nos nossos sistemas imunitários e hormonais. Contudo, a Terapia de Bowen é também eficaz em casos de problemas musculo-esqueléticos como as dores lombares que acontecem quando se faz um esforço exagerado ao pegar em pesos, ou lesões desportivas tais como torcer um pé, magoar os músculos das pernas ou dos braços.

Esta técnica baseia-se em alguns princípios nucleares que foram observados pelo seu criador - Tom Bowen. Este reparou que o corpo mantém a sua estrutura devido à inter-relação de certos conjuntos-chave de músculos, através daquilo que se chama “fascia”.

Já deve ter reparado nas camadas brancas translúcidas quando corta a carne ao preparar o jantar. Estas camadas são a fascia, pequenos 'lençóis' (e às vezes tubos) que cobrem qualquer estrutura no corpo e variam de espessura e densidade.

Cobrindo todos os músculos, a fascia permite a flexibilidade e os movimentos entre as várias partes do corpo. Uma das razões pelas quais as fascias recebem tanta atenção por parte da Terapia de Bowen é porque são elas que têm um efeito profundo na nossa postura e, particularmente, na maneira em que posicionamos a nossa coluna vertebral.

Olhando para a nossa coluna vertebral como um pilar de uma tenda e olhando para as fascias como as cordas que mantêm a coluna de pé, conseguimos perceber a quantidade de pressão a que as fascias estão sujeitas. Da mesma forma, conseguimos imaginar o efeito de uma pressão errada ou fraqueza de uma, ou mais, destas cordas no pilar da tenda.

No nosso corpo, isto pode ter várias reacções: desde pressão nos nervos à saída da coluna vertebral, até à tensão nos músculos num dos lados do corpo, passando pelos padrões de compensação que o corpo elabora. O resultado é por demais evidente: dor.

Ao contrário de algumas terapias complementares, que manipulam a coluna com o objectivo de restaurar o equilíbrio entre os vários ossos (para, por exemplo, libertar um nervo 'preso'), a Terapia de Bowen trata os músculos e as fascias que mantêm a coluna nessa particular posição. Ao alterar a relação entre músculo e fascia, torna-se inevitável uma alteração da estrutura, o que, como resultado, vai obrigar a coluna a adoptar uma melhor posição. Este método tem resultados mais duradouros.

Saiba mais na próxima página

O cérebro e os nervos

Quando esticamos ligeiramente os músculos, os receptores que se encontram ao longo das fibras musculares, dentro dos músculos, começam a enviar informação sensorial através das fibras nervosas para a medula espinal.

Temos aproximadamente 7 a 30 destes receptores por grama de tecido muscular, que enviam milhares de informações por segundo ao cérebro, dando conta do estado de cada músculo.

Ora, durante o tratamento mantém-se o esticar durante vários segundos antes de iniciar o movimento em si. Dessa forma, tanto durante como depois do movimento, é enviada mais informação sensorial através das fibras nervosas até as várias partes do cérebro.

No caso dos tendões, por serem mais sensíveis mas ao mesmo tempo mais resistentes, é necessário usar uma pressão mais lenta e mais forte.

O cérebro interpreta a informação recebida e passa-a de frente para trás, formando um mecanismo de auto-correcção complexo. Quando estamos acordados e em movimento, há quantidades enormes de informação a ser tratada entre o cérebro, os músculos, os tendões, os ligamentos, a pele e as fascias.

Quando estamos deitados passa pouca informação neste sistema de auto-correcção. Para um tratamento eficaz, é importante que haja pouca interferência da parte consciente do cérebro ou mesmo dos músculos, pois só assim é que o nosso organismo se pode reorientar à vontade.

Os movimentos do tratamento de Bowen são feitos em pontos-chave do nosso corpo que o nosso cérebro utiliza como pontos de referência naturais para determinar a postura do corpo. Estes têm, por isso, uma influência significativa na maneira como o corpo se coloca.

Saiba mais na próxima página

Passo a passo

Inicialmente é efectuado um pequeno questionário acerca da história clínica da pessoa e da razão da sua visita. Nesta conversa o terapeuta avalia a quantidade de movimentos que o organismo do cliente poderá assimilar positivamente, se há algumas contra-indicações e quais os procedimentos a aplicar.

Uma sessão de Bowen consiste numa série de movimentos muito suaves sobre locais específicos – músculos, tendões, fascia ou ligamentos. O cliente normalmente está deitado numa marquesa e, em situações muito específicas, pode estar sentado ou mesmo de pé. Uma sessão dura entre 30 e 45 minutos e pode ser aplicado directamente na pele ou através de roupa leve.

Os movimentos são normalmente aplicados em sequências precisas (em grupos de 2 a 8 movimentos) e entre cada sequência de movimentos existem pausas de cerca de dois minutos em que o terapeuta deixa o cliente relaxar.

Estas pausas permitem ao organismo receber a informação, enviá-la ao sistema nervoso e iniciar o processo de cura. Geralmente, numa primeira sessão serão trabalhadas as zonas das costas, parte posterior da perna, ombros, pescoço, e joelhos. Movimentos adicionais poderão ser acrescentados nas áreas onde os sintomas estão localizados. Nas sessões seguintes serão acrescentados procedimentos diferentes.

Muitas vezes os clientes ficam perplexos com os poucos movimentos realmente necessários durante a sessão e podem sair com a sensação de ter poucas ou nenhumas melhoras. No entanto, as reacções a esta terapia podem mascarar a sua aparência calma e evasiva.

Idealmente cada sessão é espaçada de 7 dias, (não menos de 5 nem mais de 10 dias de intervalo). Normalmente são precisos entre dois a seis tratamentos para resolver o problema apresentado. Mesmo problemas muito antigos podem responder muito depressa aos tratamentos.

Esta terapia não interfere com os cuidados médicos convencionais. De facto, o input da técnica dirigido ao sistema nervoso é muito subtil e o corpo responde a seu tempo. Cada pessoa reage de maneira diferente a ritmos e níveis diferentes – cada indivíduo reagirá consoante o seu caso particular.

Saiba mais na próxima página

A terapia de Bowen propícia uma corrente de mudanças benéficas e uma sensação de bem-estar geral. Como em qualquer tratamento de desintoxicação, logo que o cérebro começa o processo de reparação, são comuns os efeitos secundários de rigidez muscular e uma leve sensação de corpo dorido, bem como ligeiras dores de cabeça.

É importante notar que é a reacção do organismo ao tratamento de Bowen, e não a técnica em si, que levam à cura. É recomendado aos clientes que não utilizem outras terapias em simultâneo com a Terapia de Bowen, uma semana antes do primeiro tratamento e uma depois do fim do último.

É totalmente desaconselhada a mistura de terapias uma vez que, embora a Terapia de Bowen não interfira com outras terapias, podem ser estas a interromper ou atrasar o processo de cura anulando a eficácia dos movimentos de Bowen.

Uma vez terminada a sessão, o cliente recebe recomendações que, basicamente, o alertam para o facto de que se irá processar uma reorganização do organismo durante alguns dias. Nestes dias é aconselhável não fazer demasiados esforços.

É também aconselhado a andar diariamente 20 minutos e beber água em quantidade suficiente para limpar o sistema linfático e ajudar os músculos a obter o seu equilíbrio rapidamente.

Os 3 A´s

Andar: Até há muito pouco tempo pensava-se que carregar pesos era a maior causa das dores nas costas, mas estudos efectuados recentemente indicam que estar sentado causa mais problemas.

Estar sentado coloca muita pressão na zona lombar. Quanto mais tempo estamos sentados mais dores vamos ter, isto porque cerca de 40% do nosso peso é suportado pela zona lombar quando estamos sentados. O nosso corpo, e em particular a nossa coluna lombar, não foi desenhada para estar sentada numa cadeira por longos períodos de tempo.

Saiba mais na próxima página

Andar é, na realidade, o melhor medicamento natural para as dores nas costas e muitos outros problemas físicos. Pode acelerar o processo de recuperação assim como muitos outros benefícios. Logo após uma sessão da Terapia de Bowen é aconselhável dar um passeio de 15 a 20 minutos para ajudar o seu corpo a ver-se livre da dor.

Água:50 % das pessoas estão cronicamente desidratadas. Estudos efectuados recentemente indicam que a maioria das dores são devido a desidratação crónica do organismo, isto pode dever-se ao tipo de alimentação que essas pessoas têm e à falta de ingestão de líquidos.

Uma alimentação desiquilibrada é, à partida, uma alimentação pobre em água e líquidos. Os alimentos saudáveis têm na sua composição água. Uma boa alimentação e a ingestão de líquidos ajuda a: hidratar o organismo;perder e manter peso, já que ajuda a dissolver as gorduras ingeridas e favorece o bom funcionamento dos intestinos; transportar nutrientes, vitaminas, minerais e entre outros elementos às células; através da transpiração e sudação existe o controlo da temperatura; eliminar as toxinas através dos rins e da urina; aliviar a dor em todo o corpo; lubrificar as articulações; manter o equilíbrio do nosso corpo.

Aguardar: Após uma sessão da Terapia de Bowen, o cliente deve aguardar uma semana antes de receber a sessão seguinte desta terapia ou de qualquer outra modalidade (massagem, quiroprática, etc), para não interromper o processo de cura.

Os movimentos de Bowen enviam sinais eléctricos aos seus músculos, sistema nervoso e cérebro, ajudando o organismo a restaurar o equilíbrio. Os efeitos de um tratamento vão, na realidade, continuar o seu trabalho durante o resto da semana e, possivelmente, durar até mais tempo.

O cliente deve confiar na técnica de Bowen e saber aguardar que o seu organismo comece a reagir ao tratamento. Prevenir é melhor que remediar. Assim que os sinais de melhoria aparecem, continuasse o trabalho para manter a harmonia e o equilíbrio atingido. Um tratamento regular, dependendo da agenda do cliente, ajudará a prevenir a acumulação de stress futuro.

Saiba mais na próxima página

Auto-cura

A técnica de Bowen tem um efeito a nível celular que encoraja o organismo a aumentar os seus recursos de forma a curar-se a si próprio.

Sendo o corpo uma unidade altamente complexa e dependendo o seu equilíbrio de uma harmonia entre todos os seus componentes, basta um simples movimento Bowen para que existam rapidamente efeitos ao nível de todo o sistema, produzindo, assim, o máximo de resultados com a mínima intervenção.

Enquanto a medicina convencional tenta tratar apenas o sintoma, a Terapia de Bowen defende uma abordagem verdadeiramente holística ao tentar encontrar a causa do problema e intervindo também a esse nível.

Porque o corpo humano é tão extraordinário, a auto-cura pode, com frequência, ser alcançada com o mínimo de influência externa. O terapeuta é um mero catalizador que procura dar o estímulo certo.

Ao contrário de outras terapias, a Bowen não impõe uma abordagem pré-determinada. Cada tratamento é aplicado de acordo com as necessidades e condições específicas, os aspectos físicos, químicos, emocionais e mentais do cliente.

Texto:Rita Azeredo, terapeuta de Bowen BTA

Fotografia:Fotolia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.