Na sociedade de ritmo acelerado em que vivemos, o tempo é escasso. E, por isso, precioso. Como o organiza?

Os estudos científicos mostram que a capacidade de distribuir energias de forma equilibrada, entre vários projetos e objetivos, é um dos pilares da nossa saúde.

Neste contexto, a quantidade é um primeiro passo para a qualidade. Será a forma como organiza e vive os seus dias a mais saudável?

Encontre a resposta de seguida e descubra o que pode fazer para ter uma agenda sadia.

Dormir

Os estudos sugerem que, para funcionarem de forma óptima, os adultos saudáveis precisam entre sete a oito horas de sono todas as noites. Este número não é absoluto. Segundo a National Sleep Foundation, varia em função da forma como estamos biologicamente programados para nos sentirmos sonolentos e também das horas de sono que temos em falta e vamos acumulando.

De uma coisa os cientistas estão certos, dormir menos do que o que o nosso organismo precisa tem sérias implicações para a saúde: aumento de peso (a privação do sono estimula o apetite), risco de diabetes e depressão. Dormir pouco afec«ta ainda os mecanismos cerebrais da memória, tomada de decisão, concentração e aprendizagem. Segundo um estudo da Universidade de Warwick, a falta de sono duplica o risco de morte por doença cardiovascular, mas dormir demasiado também pode ter o mesmo efeito.

Exercício

Um estudo da Canadian Medical Association, que reviu mais de 150 artigos científicos sobre os benefícios do exercício físico para a saúde, mostra que «há provas irrefutáveis da eficácia da atividade física regular na prevenção da doença cardiovascular, diabetes, cancro, hipertensão, obesidade, depressão e osteoporose».

Basta cerca de meia hora de atividade física moderada, cinco a sete dias por semana para se manter ativo. Aproveite as mais-valias da caminhada em passo rápido, considerada o exercício físico mais natural e ao alcance de quase todas as pessoas.

Refeições

Foi demonstrado pelo Laboratório de Alimentos e Marcas da Universidade de Cornell que o cérebro demora cerca de 20 minutos a emitir sinais de saciedade. Isto significa que se fizer refeições rápidas tenderá a comer para além das suas necessidades e, logo, engordará.

Segundo um estudo publicado pela American Dietetic Association, comer depressa está também associado a uma maior tendência para comer pior, ou seja, para ingerir alimentos pouco saudáveis (fast food, refrigerantes e alimentos ricos em gordura) em detrimento de alimentos essenciais para a saúde do organismo.

Por outro lado, reservar tempo para as refeições tem ainda benefícios de origem psicológica. É provável que se sinta mais saciado se não estiver a fazer outras tarefas enquanto come.

Atividades sedentárias

Segundo um estudo publicado pela American Heart Association, cada hora diária de televisão a que assistimos está associada a um aumento de 18 por cento de risco de morte por doença cardiovascular, 11 por cento de morte por todas as causas e 9 por cento de risco de morte por cancro.

Quando comparadas com pessoas que vêem menos de duas horas de televisão diariamente, as que vêem mais de quatro horas têm 80 por cento mais probabilidade de morrer por doença do cardiovascular e 46 por cento por todas as causas.

O problema está no estilo de vida em causa. O estudo sugere que qualquer comportamento sedentário prolongado, como estar sentado à frente de um computador ou do televisor, representa riscos para a saúde e aplica-se tanto a pessoas obesas como às que têm um peso saudável.

Check-up médico

Seja qual for a sua idade, o mínimo que a sua saúde pede e merece é que todos os anos realize um check-up médico. Este, em geral, envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, glicemia, ureia, entre outros. Fazê-lo significa proteger o seu organismo, adicionar anos ao seu calendário de vida. Lembre-se, a deteção precoce de patologias é essencial para o seu tratamento atempado.

Meditação

Sabia que ao meditar está a modelar a função e estrutura do seu cérebro? Investigações recentes mostram que a meditação induz alterações que podem alargar o espectro de atenção, apurar a capacidade de concentração e melhorar a memória. Além disso, tem um papel importante na regulação das emoções.

Segundo um estudo do Massachussets General Hospital, meditar 40 minutos por dia fortalece a área do córtex cerebral responsável pela tomada de decisões, atenção e memória. Dois dos mais reputados médicos americanos, Michael Roizen e Mehmet Oz, defendem no livro «You Sempre Jovem» que cinco minutos diários de silêncio, concentração e reflexão são um bom princípio para o seu cérebro recarregar, recentrar e rejuvenescer.

Trabalho

Passamos cada vez mais tempo a trabalhar, mas é a forma como encaramos esse tempo que pode marcar a diferença entre o
bem-estar e a doença. Segundo um estudo da Universidade do Kansas, as pessoas mais envolvidas positivamente no trabalho são mais dedicadas e têm mais energia nas suas atividades diárias familiares, enquanto as que são viciadas no trabalho tendem a desenvolver relações de conflito familiares.

Os indivíduos para quem o trabalho é expressão de uma vocação têm mais tempo de qualidade laboral.

Amy Wrzesniewski, professora de comportamento organizacional, explica que o segredo destas pessoas reside no facto de incluírem no trabalho tarefas que tenham significado para elas, mesmo que isso signifique trabalhar mais horas e faltar menos.

Já as que o vêem apenas como um emprego (motivadas essencialmente pelo salário) ou profissão (motivadas pela progressão na carreira, poder ou prestígio), aumentariam a qualidade do seu tempo refletindo sobre o que as deixa felizes e procurando interesses significativos nas funções que desempenham.

Pausas

É importante descansar os seus olhos pelo menos 10 minutos em cada hora. Quem o recomenda é Luís Gouveia Andrade, médico oftalmologista, segundo o qual esses minutos devem ser aproveitados para «fechar os olhos ou para ir até uma janela e contemplar o infinito».

Lazer

As experiências têm mais impacto no seu bem-estar do que qualquer objeto.

Segundo um estudo da Universidade de São Francisco, ir ao teatro, cinema, ter um hobby ou passear são atividades que se traduzem em tempo de qualidade pois satisfazem necessidades de relacionamento social e vitalidade.

Como tal, produzem um bem-estar superior e mais duradouro que o de qualquer objeto, para quem compra e para quem o rodeia.

Esta lei é válida até para quem pode comprar todos os objetos de consumo que quiser, já que é independente do valor dos objetos e do rendimento do consumidor. Comer um chocolate, demorar-se no banho, dormir a sesta são exemplos de lazer sem custos associados, o tipo de coisas simples que, segundo um estudo da Universidade de Nottingham, mais aumentam a qualidade de vida. Já agora, aproveite para estar com a família ou amigos. Segundo um estudo da Universidade de Queensland, era o que a maior parte das pessoas faria se vivesse mais tempo.

Imagem

Mesmo a pessoa mais ocupada do mundo pode tirar 30 minutos do seu tempo para cuidar da imagem, sobretudo quando o que está em causa é a saúde física e psicológica. Tomar banho, limpar e hidratar a pele, protegê-la do sol, desmaquilhar-se são rituais de beleza que deve realizar diariamente e que contribuem para a sua saúde a longo prazo.

Michael Roizen e Mehmet Oz, médicos e autores da obra «You A sua Beleza», afirmam que cuidar da imagem não é apenas uma questão de aparência, já que pode influenciar diretamente a forma como se sente e fazer parte de uma estratégia de vida para se tornar uma pessoa mais autêntica. E por que não tirar duas horas para fazer uma massagem se isso influenciar positivamente a sua produtividade nas tarefas seguintes?

Filhos

A forma como aproveita o tempo que passa com os seus filhos pode ser determinante para o seu desenvolvimento saudável. Segundo o pediatra Eduard Estivill, não importa que esteja presente fisicamente, se não tem disponibilidade anímica ou mental para o seu filho.

Conversem e brinquem regularmente, mesmo que por pouco tempo, se quer que ele seja uma pessoa segura e bem adaptada. Mas não caia na tentação de o deixar fazer tudo o que quer, só porque passam pouco tempo juntos.

O jogo é uma ótima forma de educação e aprendizagem. A regularidade é também um fator importante para o crescimento das crianças. Como diz Eduaro Estivill «é melhor passar 20 minutos a brincar com os filhos do que uma hora a ver televisão sem comunicarem».

Afetos

Para que uma relação se mantenha saudável, feliz e seja duradoura, os sexologistas ensinam um segredo muito simples. Incluir na agenda, tal como faz com outras atividades da sua vida, planos para a intimidade. Reservar na planificação semanal (no papel, mesmo) o dia e a hora para estar com o companheiro(a), sem ter de determinar exatamente se o que vão fazer tem um cariz sexual ou simplesmente lúdico. O importante é estarem juntos.

E sabia que a frequência com que tem relações sexuais aumenta o desejo de repetir a experiência? A explicação para este facto é não só psicológica como tem uma base hormonal. Assim, se investir tempo na sua vida sexual com alguma frequência estará a proteger e a alimentar o desejo sexual.

Texto: Rita Miguel

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.