Depois de se ver confrontado em maio último com a notícia da derrocada do seu império de restaurantes Jamie’s Italian, no Reino Unido, o mais mediático chefe de cozinha britânico, Jamie Oliver, quer tornar os seus interesses em diferentes áreas de negócio numa Empresa B, orientada para as pessoas e para o ambiente.

A notícia foi adiantada pela edição online do jornal britânico The Guardian que sublinha o facto de Jamie ver neste programa de certificação, “uma maneira de unir a sua campanha em questões como a obesidade infantil e o bem-estar animal na estrutura do negócio que, após o colapso da cadeia italiana, ainda engloba áreas de sucesso como a editorial”.

As fotos loucas do dia a dia de Jamie Oliver
As fotos loucas do dia a dia de Jamie Oliver
Ver artigo

Sublinhe-se que uma Empresa B (em inglês B Corporation, ou B Corp.) é uma entidade que coloca as pessoas e o planeta em pé de igualdade. Ou seja, o seu modelo de negócio visa o desenvolvimento social e ambiental. O conceito foi criado em 2006 pela norte-americana B-Labs.

Para se tornar uma empresa B, esta deve passar por um processo de avaliação independente que analisa o impacto ambiental e social das suas atividades comerciais. Um processo que pode levar de semanas a anos. Até ao momento, há perto de três mil empresas B, em todo o mundo.

O plano do chefe de cozinha e empresário britânico nasceu após o Jamie Oliver Group publicar o seu primeiro relatório de impacto social. Este é descrito “como o primeiro passo para se tornar um ´líder em negócios de impacto social`”, refere o jornal britânico, continuando, “nele, Oliver, que teve a sua grande oportunidade quando um grupo ligado à televisão o viu a trabalhar no River Café, em Hammersmith, admite que `o meu negócio não é perfeito`”.

Jamie Oliver não é o único chef com problemas financeiros no Reino Unido. Além dos dele, já fecharam 750 restaurantes

Isso mesmo sentiu Oliver na pele quando 25 restaurantes com a marca Jamie's Italian encerraram portas no Reino Unido, levando para o desemprego mais de mil funcionários. Isto, depois do chefe de cozinha ter investido na marca, meses antes, 26 milhões de libras do seu próprio capital.

Ainda em 2018, Jamie chocou os fãs ao assinar um acordo milionário com a petrolífera Shell. Agora, no presente relatório, Oliver argumenta que essa parceria se enquadra na sua ambição de tornar a comida saudável acessível a todos, alegando que os motoristas podem adquirir refeições mais saudáveis na rede de estações de serviço da empresa referida.

Jamie Oliver garante que “no futuro só fará acordos comerciais que ajudem à sua meta de redução da obesidade infantil até 2030”, refere o The Guardian. Neste momento, as empresas do chefe de cozinha estão a iniciar a análise do que está implicado. pelo processo de certificação B.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.