Como em todas as competições, o tempo e a técnica são fundamentais para vencer. Numa prova de 15 minutos, em que participam cerca de 50 candidatos de quatro continentes, cada concorrente deverá preparar quatro expressos, quatro bebidas com leite e quatro bebidas de autor para um júri altamente qualificado.

Para tirar o expresso perfeito, David Coelho segue criteriosamente cinco passos antes de iniciar: limpar o porta-filtros; moer o café (10,5 gramas por porção), prensar para que não haja folgas entre os grãos; verter um pouco de água; e finalmente colocar o porta-filtros. Com toda a precisão, o café deve conter 30 mililitros, extraídos entre 20 a 30 segundos.

O segundo teste (bebidas de leite) representa uma novidade no campeonato, já que até este ano estava restringido unicamente ao cappuccino. O barista português espera, por isso, dar provas da sua criatividade através da “latte art”.

Na terceira categoria, David Coelho conta surpreender com a sua bebida de autor. Não podemos revelar ainda a receita, mas adiantamos que se trata de uma bebida fria, ao contrário do que é habitual neste tipo de provas. A sua especialidade, resultado de “muitas horas de pesquisa e experimentação”, combina ingredientes pouco usuais com café.

Barista há oito anos, o representante português venceu o segundo Campeonato Nacional e prepara-se agora para ir a Dublin, onde decorre a final mundial, de 22 a 25 de junho de 2016, com o apoio da Associação Industrial e Comercial do Café.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.