Nos idos anos da década de 1940, era sobretudo associada às secretárias, às hospedeiras, às executivas e até a algumas cantoras de cabaret. Mais tarde, Marilyn Monroe tornou-a num ícone de estilo, sobretudo depois de a usar no filme «Paragem de autocarro». Clássica e intemporal, a saia pencil é indispensável em qualquer estação, contudo é preciso ter cuidado ao usar, porque é uma das peças mais complicadas de adaptar a cada tipo de corpo.

De corte direito e estreito, esta saia realça as ancas, por isso, se tiver um quadril largo, opte por tecidos maleáveis e cores escuras que diminuem o volume. O comprimento por baixo do joelho é só para as mais altas, pois diminui o tamanho das pernas. As mulheres baixas devem optar pelos modelos por cima do joelho para alongar a silhueta. Os saltos altos são os aliados perfeitos.

Apesar de, à primeira vista, poder ser percecionada como uma peça clássica, nos últimos anos, em função da sua associação a peças e acessórios mais modernos, urbanos e contemporâneos passou a ser vista com outros olhos e em coordenados mais irreverentes. Como são tendencialmente justas, deve optar por modelos com rachas, que libertam e facilitam os movimentos.

Texto: Mafalda Alves com Luis Batista Gonçalves