Lá porque a sua amiga não se cansa de elogiar a base de maquilhagem que usa, isso não significa que a mesma se adeqúe a si. E a culpa pode ser da sua tez! Na hora de escolher uma, o primeiro passo passa por definir o seu tipo de pele. Consoante ela é normal, oleosa ou mista, poderá ter de recorrer a uma base de maquilhagem diferente. Estes são os diferentes fatores a ter em conta, em função da sua epiderme, antes de adquirir uma:

- Pele normal

É a mais equilibrada, a sua secreção sebácea é a adequada, pelo que a pele está perfeitamente protegida. É uma pele flexível e resistente (como a das crianças) com um pH neutro ou ligeiramente ácido. Não se trata de uma pele perfeita, mas homogénea, com uma boa proporção de gorduras, água e nutrientes. Os cuidados mais importantes são a limpeza e a hidratação.

A sua textura é bastante regular, não tem rubor, borbulhas nem pontos negros. Para além disso, não costuma ter imperfeições e, aparentemente, parece estar limpa, suave e luminosa. Se a sua pele é normal, não terá problemas em utilizar qualquer base. Qualquer tipo é adequado.

- Pele mista

É composta por uma parte de pele normal ou seca e uma área oleosa bem definida, compreendida entre a testa, o nariz e o queixo, um triângulo conhecido como zona T. Reflete, por um lado, uma certa secura ou desidratação, que se manifestam pela sensação de repuxar e aparecimento de algumas rugas e rídulas. Por outro lado, apresenta uma zona T brilhante e oleosa.

A sua base de maquilhagem ideal é, por isso, aquela que lhe permite responder às necessidades da zona oleosa e da seca. Uma mistura entre bases líquidas e em pó ou em creme garantir-lhe-ão bons resultados.

- Pele seca

É provocada por um mau funcionamento das glândulas sebáceas. É consequência da falta de lípidos, não de água, como se costuma pensar. Se estas glândulas não produzem sebo suficiente, a correcta lubrificação da pele é impedida e a perda de água é favorecida.

Às vezes, a secura está relacionada com uma deficiência de vitaminas e minerais e, inclusive, com a ausência de certas gorduras na alimentação. Os fatores ambientais hostis, como a poluição, o abuso de sabonetes e geles, os aquecimentos ou o ar condicionado também a favorecem. A secura traduz-se em rídulas, rugas, escamas e/ou aspereza.

A pele repuxa bastante e tem um tom baço, para além de apresentar rugas excessivamente marcadas. A sua maquilhagem ideal é, por isso, uma base fluída, que liberte agentes hidratantes, que possua uma grande quantidade de polímeros (moléculas formadas por partículas mais pequenas) com uma poderosa capacidade de humedecer a pele.

Veja na página seguinte: A base de maquilhagem mais indicada para peles oleosas

- Pele oleosa

Toda e qualquer pele está coberta por uma camada hidrolipídica protectora, resultado da acção dos androgénios, as hormonas sexuais masculinas, que também estão presentes nas mulheres, apesar de em menor quantidade. Quando há alguma alteração hormonal, a atividade das glândulas sebáceas descontrola-se e aumenta. Os folículos e os poros fecham-se, provocando a retenção de sebo.

Geralmente, a pele oleosa é grossa, tem uma aparência suja, com brilhos e o seu tato é oleoso. Tem propensão para poros abertos, pontos negros, rubores e borbulhas, e é uma das causas da acne. A sua maquilhagem ideal é uma base matificante com agentes seboreguladores, que controlem adequadamente a humidade da pele. Isto não significa que não tenha de a hidratar, mas sim de fazê-lo corretamente.

A formulação dos produtos que usar deve ser isenta de óleos, a sua ação deve regular o brilho facial e dissimular borbulhas sem conferir oleosidade. São uma arma imprescindível no arsenal de beleza de muitas mulheres mas, mal utilizadas, podem prejudicar mais do que melhorar a imagem, porque acrescentam-lhes anos de vida. Sabe tirar o máximo partido delas? Aprenda a fazê-lo com os nossos conselhos.

Como aplicar?

Deve aplicar a base de maquilhagem sempre a partir do centro do rosto, em direção ao exterior, sem se esquecer de a esbater na zona dos olhos e orelhas. Aplique a quantidade certa. Use um pincel para o rosto não ficar com um aspeto de máscara e a pele ficar sem manchas nem zonas mais carregadas ou pouco naturais.

Com o pincel não corre o risco de maquilhar pelos, pelo que não mancha as sobrancelhas nem a linha de crescimento do cabelo. Se usar uma esponja, dobre-a para obter uma superfície arredondada que aplique a base homogeneamente. Às vezes, convém usar previamente um iluminador-corretor.

Aplique-o primeiro na zona das maçãs do rosto, abas do nariz, entre as sobrancelhas, no centro do queixo e em pontos mais escuros que queira iluminar. Depois, coloque a base no resto do rosto, esbatendo-a com a zona corrigida, para que não se note a linha de separação, mas sem cobrir o iluminador, para não anular o seu efeito.

Texto: Madalena Alçada Baptista