Storytailors expandem atividade para os EUA

Prestes a apresentar uma nova coleção de moda, João Branco e Luís Sanchez, que acabam de criar uma capa para um smartphone, antecipam tendências e novidades. Entrevista exclusiva

Já foram apelidados de enfants térribles da moda portuguesa. Com um estilo irreverente e uma forma de se apresentar muito própria, os Storytailors, dupla de criadores nacionais constituída por João Branco e Luís Sanchez, têm vindo a consolidar uma carreira que começa a ir muito para além da mera criação de roupa. Uma das grandes marcas internacionais de equipamentos eletrónicos acaba de os convidar a conceber uma capa para o seu novo telemóvel mas os novos projetos não se esgotam neste novo lançamento.

Em março, no Portugal Fashion, surpreenderam ao apresentar muitas criações em tons de negro e preto. Para esta estação, continuam a apostar nessas cores?

João Branco: Não. A nossa coleção de outono/inverno [2015/16] incidia sobre a terra e sobre o fogo. Esta próxima vai ser sobre outros elementos, logo a paleta cromática também vai ser outra.

Podem adiantar um bocadinho mais?

João Branco: Podemos dizer que a coleção estará mais ligada ao ar e à água…

Luís Sanchez: Também são elementos que estão muito presentes na nossa cultura.

João Branco: Nós nunca gostamos de revelar muito sobre as coleções antecipadamente..

Luís Sanchez: Porque isso cria expetativa nas pessoas e, às vezes, criar demasiadas expetativas desilude.

João Branco: Não há nada melhor que ir ver um filme ou estar numa situação sem expetativas nenhumas, porque o prazer de nos deixarmos surpreender é o melhor que pode acontecer. Não nos devem tirar o prazer de viver a situação sem qualquer tipo de indícios que, às vezes, podem viciar um bocadinho a nossa perceção das coisas.

Acabam de criar uma capa para o ZenFone 2, o novo smartphone da Asus. São os primeiros estilistas, a nível mundial, escolhidos por esta marca para desenvolver uma parceria do género. O que é que isso representa para vocês?

João Branco: É uma honra muito grande. Quando recebemos o convite, ficámos surpreendidos mas, ao mesmo tempo, contentes e, agora que falamos sobre isto, ainda pensamos mais no assunto. Uma das coisas mais importantes foi descobrir, por exemplo, que a capa tinha esgotado e que a coisa tinha corrido lindamente para a Asus.

Foi bom perceber que a recetividade foi superior à de outras iniciativas da marca. Isso quer dizer que a mensagem passou e que este projeto inspirou. Deixa-nos, efetivamente, muito felizes saber que as pessoas reagiram muito bem ao produto.

Luís Sanchez: É muito gratificante podermos estabelecer uma ligação com outras áreas criativas. Há um reconhecimento, de facto, do nosso trabalho e isso é muito importante.

João Branco: A moda comunica através do vestuário, que é uma ferramenta de comunicação muito particular. Nós, quando escolhemos a roupa que vestimos todos os dias, comunicamos. O nosso presente e o nosso futuro, de certa forma, sempre estiveram muito relacionados com a comunicação.

Mas, hoje em dia, com a capacidade de comunicar, com a velocidade e com formas eficazes de o fazer, isso acontece cada vez mais. Receber o convite de uma marca para criar uma peça para um objeto que facilita precisamente este tipo de comunicação ainda veio acrescentar mais à nossa sensação de entusiasmo.

Veja na página seguinte: Os condicionalismos que os Storytailors (não) tiveram para desenvolver o projeto

Comentários